O Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) está a participar num projeto europeu de investigação e desenvolvimento na área da inteligência artificial para redes 5G, cujo objetivo é melhorar a sua eficiência energética, anunciou esta quarta-feira aquela instituição.

“O objetivo principal deste projeto (AI4GREEN) é melhorar a eficiência energética da rede móvel 5G, sem comprometer a qualidade de serviço, e com recurso a algoritmos de Inteligência Artificial”, explica o IPCB, numa nota enviada à agência Lusa.

Adianta ainda que o consumo energético da rede móvel, incluindo estações base e antenas, é a componente que mais contribui para os custos operacionais dos operadores de telecomunicações, representando perto de 30% destas despesas, no caso das redes móveis de quarta geração (4G).

“Será expectável que o consumo energético aumente com a implementação do 5G e a densificação da rede móvel”, sublinha.

O projeto AI4GREEN (Artificial Intelligence for 5G Green Networks) foi recentemente aprovado pelo programa Portugal 2020, no âmbito da chamada para projetos de I&D (Investigação e Desenvolvimento) industrial à escala europeia.

Trata-se da componente nacional de um projeto europeu mais vasto, aprovado pela iniciativa CELTIC (Cooperation for an European sustained Leadership in Telecommunications) do programa EUREKA, coordenado pelo KTH Royal Institute of Technology (Suécia).

Paulo Marques e Hugo Marques, docentes da Escola Superior de Tecnologia (EST) de Castelo Branco, são os representantes do IPCB no projeto AI4GREEN.