O antigo secretário de Estado do Tesouro da Guiné-Bissau Suleimane Seidi, detido na quarta-feira pela polícia, foi esta sexta-feira libertado, disseram à Lusa fonte familiar e o seu advogado, Suleimane Cassamá.

Suleimane Seidi, detido na quarta-feira à porta da sua casa, em Bissau, capital do país, foi posto em liberdade sem qualquer outro procedimento, afirmou o advogado.

Antigo secretário de Estado do Tesouro da Guiné-Bissau detido

Segundo o advogado, o ex-governante foi detido, alegadamente, no âmbito de um processo relativo a uma viatura que entregou ao então ministro da Justiça Iaia Djaló, quando ambos estavam no governo do primeiro-ministro Aristides Gomes, em 2018.

Suleimane Cassamá referiu que, “ao que consta”, a detenção deveu-se ao facto de Iaia Djaló se encontrar fora do país e não ter entregado a viatura em questão ao atual governo em funções, situação que considera ser injustificável para deter Suleimane Seidi. De acordo com os familiares de Seidi, a polícia entendeu que aquele é responsável pela situação e que enquanto a viatura não fosse entregue não poderia sair das instalações da 2.ª Esquadra, em Bissau.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Com a intervenção da Liga Guineense dos Direitos Humanos, escritório local das Nações Unidas e advogados, Suleimane Seidi falou com Iaia Djaló, que se encontra em Lisboa, e este mandou um irmão entregar a viatura que se encontrava na sua residência em Bissau, explicou o advogado Suleimane Cassamá.

“Após a entrega da viatura, o doutor Suleimane Seidi foi libertado. O processo morreu logo ali”, observou o advogado.