Mais de metade dos alunos do 1.º ao 12.º ano já levantaram os vouchers para a aquisição de novos manuais escolares, informou esta sexta-feira o Ministério da Educação. Os vouchers que as famílias vão poder trocar por novos manuais começaram a ser distribuídos a 3 de agosto para os alunos dos anos de continuidade e a partir do dia 13 para os alunos do 1.º, 5, º 7.º e 10.º.

Segundo o gabinete de imprensa do ministério, nas primeiras semanas deste processo foram levantados mais do dobro dos vouchers em comparação com o mesmo período do ano passado.

O Ministério da Educação saúda o facto de os encarregados de educação estarem a acompanhar o processo, uma vez que só assim é possível evitar uma concentração de pedidos”, refere um comunicado do Ministério.

Para aceder a estes vales, os encarregados de educação devem registar-se na plataforma MEGA (www.manuaisescolares.pt) ou descarregar a app “Edu Rede Escolar”, onde os vouchers ficam disponíveis a partir do momento em que as escolas exportarem todos os dados necessários na plataforma.

A partir destes dispositivos, passam a ter acesso aos dados escolares dos seus educandos e aos respetivos vouchers para os manuais escolares, bem como à lista das livrarias aderentes, onde poderá ser feito o levantamento. A tutela adianta ainda que o número de escolas que ainda não disponibilizou a informação para a plataforma é residual.

Por outro lado, o ministério saúda a resposta prestada pelo serviço de atendimento da plataforma “que se tem verificado como muito útil”, acrescentando que as principais dúvidas dos encarregados de educação estão relacionadas com os dados de acesso à MEGA.

No total, são mais de um milhão os alunos que no próximo ano letivo vão receber novos manuais escolares gratuitos, uma vez que o processo de reutilização dos livros foi interrompido no final do ano letivo.

O próximo ano letivo seria o primeiro em que a maioria dos manuais do 3.º ciclo e secundário seria reutilizada, mas uma proposta de lei do CDS-PP, aprovada em julho, veio suspender a devolução dos manuais para facilitar a recuperação das aprendizagens.

Agora, a reutilização dos manuais deverá ser retomada no final do próximo ano letivo, altura em que os alunos voltam a ser obrigados a devolver os manuais emprestados.