Pelo menos 30 estudantes cabo-verdianos retidos na China e em Macau devido à pandemia de Covid-19 começam a ser repatriados para Cabo Verde no início de setembro, anunciou esta terça-feira o governo.

Em conferência de imprensa realizada esta terça-feira na Praia, o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, Luís Filipe Tavares, explicou que em Macau estão neste momento retidos oito estudantes universitários, finalistas, com dificuldades no regresso a Cabo Verde. Somam-se mais 22 estudantes na China, que também terminaram os respetivos cursos e vivem com dificuldades, aguardando o repatriamento.

Segundo o esclarecimento feito pelo governante, as representações diplomáticas cabo-verdianas estão a apoiar estes estudantes na aquisição de viagens de regresso, que devem iniciar-se a partir de 4 de setembro.

Luís Filipe Tavares acrescentou que alguns estudantes cabo-verdianos ainda permanecem também no Brasil, aguardando a retoma do período letivo nas universidades, mas que estão a ser acompanhados pela rede consular.

Vamos continuar a acompanhar a situação epidemiológica no Brasil, onde em termos da pandemia de Covid-19 é muito grave”, admitiu o ministro.

O governo de Cabo Verde garantiu na segunda-feira o repatriamento de um grupo de 140 estudantes cabo-verdianos que estavam retidos no Brasil devido à pandemia de Covid-19. O voo chegou ao aeroporto internacional da Praia ao final do dia de segunda-feira, tendo sido organizado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e Comunidades de Cabo Verde.

Cabo Verde está fechado a voos comerciais internacionais desde 19 de março, para conter a pandemia de Covid-19, não tendo sido ainda avançada qualquer data para a retoma dessas ligações, que já esteve prevista para julho e depois para a segunda quinzena de agosto.

Até ao início deste mês tinham sido realizados 15 voos de repatriamento do arquipélago.

Entretanto, desde 1 de agosto que Portugal e Cabo Verde estabeleceram um corredor aéreo para voos essenciais, por motivos de doença, negócios, estudos, profissionais, oficiais e familiares, com a condição de realização de testes de virologia à Covid-19 nos dois sentidos.