Um importante índice de confiança empresarial na maior economia europeia, a Alemanha, subiu mais do que o esperado em agosto, um sinal animador após os números muito negativos provocados pela pandemia de Covid-19.

O índice divulgado pelo instituto de pesquisa económica Ifo aumentou para 92,6 pontos em agosto, depois de 90,4 pontos em julho (um número que foi revisto em baixa face ao que tinha sido inicialmente estimado). Os economistas já antecipavam uma melhoria em agosto mas o resultado saiu ainda mais animador do que se previa: a média das estimativas apontava para que este indicador se cifrasse nos 92,2 pontos.

Este indicador leva o economista Klaus Wohlrabe, do Ifo, a prever que a economia alemã dispare quase 7% neste terceiro trimestre, em comparação (em cadeia) com a quebra recorde de 9,7% dos três meses anteriores.

O presidente do Ifo, Clemens Fuest, comentou, na nota de imprensa, que “a economia alemã está no caminho da recuperação”, assegurando que foi notório um otimismo muito maior, entre os empresários, do que se verificava no mês anterior. Ainda assim, o responsável comenta que “a recuperação ainda é frágil”, acrescentando que uma possível segunda vaga é um risco capaz de fazer descarrilar a recuperação.