O arquipélago da Madeira encontra-se sob avisos amarelo e laranja para tempo quente até 30 de agosto (domingo), sendo que a temperatura máxima do ar poderá atingir os 32 graus, indicou esta terça-feira o Serviço Regional de Proteção Civil.

“Associado à presença de massa de ar quente e seca, prevê-se dias quentes, em especial os dias 26 (quarta-feira) e 27 (quinta-feira)“, refere a entidade em comunicado, destacando que as áreas mais afetadas serão a costa sul e as regiões montanhosas da ilha da Madeira.

A humidade relativa do ar será baixa, temporariamente com valores inferiores a 30%, e o vento será em geral fraco a moderado (10 a 35 quilómetros/hora, com rajadas que poderão atingir cerca de 50 a 70 quilómetros/hora nos extremos leste e oeste e nas zonas montanhosas.

Devido às condições meteorológicas, o Serviço Regional de Proteção Civil recomenda a “adequação dos comportamentos e atitudes” face ao perigo de incêndio florestal, nomeadamente não realizar queimadas ou fogueiras para recreio ou lazer, a não ser nos lugares destinados para o efeito, e não fumar nos espaços florestais e vias circundantes.

Entretanto, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) indicou que a generalidade do território de Portugal continental e dos arquipélagos da Madeira e Açores apresentam hoje risco muito elevado de exposição à radiação ultravioleta (UV).

Em risco muito elevado estão todos os distritos de Portugal continental e os arquipélagos da Madeira e Açores, exceto a ilha das Flores, que está com níveis baixos.

Para as regiões com risco muito elevado, o IPMA aconselha a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol e protetor solar, além de se evitar a exposição das crianças ao Sol.