O Presidente da Síria, Bashar al-Assad, nomeou esta terça-feira um novo primeiro-ministro, encarregado de formar governo na sequência das eleições legislativas de 19 de julho, anunciou a Presidência síria.

Hussein Arnous, antigo ministro dos Recursos Hidráulicos e que exercia interinamente a chefia do executivo desde junho, quando Assad demitiu o primeiro-ministro Imad Khamis, foi agora nomeado primeiro-ministro.

Tal como o antecessor, o novo primeiro-ministro é visado há vários anos pelas sanções impostas pela União Europeia (UE) e pelos Estados Unidos ao regime sírio. A sua nomeação intervém num contexto de grave crise económica e de acentuada desvalorização da moeda síria, que levaram a uma forte subida de preços.

Natural da cidade de Maarat al-Nouman, na província de Idlib, Hussein Arnous, 67 anos, é diplomado em engenharia civil pela Universidade de Alepo.

A Síria está em guerra desde 2011.

O partido Baas, no poder, e os seus aliados, venceram as legislativas de julho, realizadas apenas nas áreas controladas pelo regime, elegendo a maioria dos 250 deputados da Assembleia Nacional.