As autoridades afegãs elevaram esta quinta-feira para 122 o número de mortos causados pelas inundações que atingiram pelo menos 12 das 34 províncias do país, segundo o Departamento de Gestão de Acidentes do Afeganistão.

“Das 122 pessoas que perderam a vida nas inundações, 85 morreram na província de Parwan, no norte do país”, disse à agência de notícias espanhola EFE Hasibullah Shaikhani, porta-voz do Departamento de Gestão de Acidentes.

Na quarta-feira as autoridades tinham relatado 100 mortes nas cheias que atingiram a capital de Parwan, Charikar, mas a direção de saúde pública retificou posteriormente para 85.

Nas inundações, 150 pessoas ficaram feridas em 12 das 34 províncias do país pelas inundações.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“A nossa operação continua pelo segundo dia em Charikar para abrir as estradas e recuperar os corpos desaparecidos nas ruínas”, explicou o porta-voz adjunto do governador de Parwan, Rahmatullah Haidari. O porta-voz disse também que o número de mortos pode vir a aumentar nas próximas horas.

De acordo com os últimos dados oficiais disponíveis, 1.500 casas foram destruídas ou danificadas nas 12 províncias afetadas, 600 cabeças de gado morreram e cerca de 1.150 hectares de terras agrícolas e pomares foram destruídos.

Em Charikar, a capital de Parwan, mais de 500 casas foram destruídas ou danificadas, muitas estradas permanecem bloqueadas por lama e pedras e os serviços públicos como água e eletricidade foram interrompidos.

O Afeganistão regista frequentemente catástrofes relacionadas com as condições meteorológicas que provocam muitas vítimas, como foi o caso dos deslizamentos de terra ocorridos em maio de 2014, que mataram 2.000 pessoas.