A Relógio d’Água vai publicar, neste mês de setembro, muito aguardado novo livro de Elena Ferrante, A Vida Mentirosa dos Adultos. Pela mesma editora, vão ainda sair Primeiro Contos e Outros Contos, um volume que reúne alguns inéditos de Agustina Bessa-Luís, e O Osso do Meio, a nova obra de Gonçalo M. Tavares, que faz parte do universo de O Reino. Novas edições de Esse Cabelo, de Djaimilia Pereira de Almeida, e de Notre-Dame de Paris, de Vitor Hugo, sairão igualmente pela Relógio d’Água.

A Porto Editora vai lançar Torpor, de Luís Adriano Carlos, um novo volume da coleção “elogio da sombra”, dirigida por Valter Hugo Mãe, e Oração a que Faltam Joelhos, de Jacinto Lucas Pires. Pela Livros do Brasil, vai sair O Perfume da Dama de Negro, de Gaston Leroux, no âmbito da coleção “Vampiro”. Pela Alfaguara vão ser publicados os livros Os Rapazes de Nickel, de Colson Whitehead, vencedor do Prémio Pulitzer em 2020, e Consentimento de Vanessa Springora.

A Elsinore vai editar Rapariga, Mulher, Outra, de Bernardine Evaristo, o romance que partilhou o Booker Prize de 2019 com Os Testamentos, de Margaret Atwood. Rapariga, Mulher, Outra conta a história de 12 personagens, quase todas mulheres negras e com vidas ligadas ao legado do império colonial britânico. “As suas histórias, a das suas famílias, amigos e amantes, compõem um retrato multifacetado e realista dos nossos dias, de uma sociedade multicultural que se confronta com a herança do seu passado e luta contra as contradições do presente”, refere a editora.

Pela mesma editora vai sair também este mês o mais recente livro de Marina Perezagua, Seis Formas de Morrer no Texas. Natureza Morta com Brida, de Zbignew Herbet, e Mrs. Caliban, de Rachel Ingalls, vão sair pela Cavalo de Ferro. A Tinta-da-China vai lançar Balada de Sophie, a nova novela gráfica de Filipe Melo e Juan Cavia, e a Minotauro Circe, de Madeline Miller. O terceiro e último volume das obras completas de Luiz Vaz de Camões, publicadas pela E-Primatur, vai ser editado também neste mês de setembro. Este volume é dedicado ao teatro do autor de Os Lusíadas. Na coleção “Livro B”, também da E-Primatur, vai sair O Rei Amarelo, de Robert W. Chambers.

A Dom Quixote vai publicar Quichotte, o mais recente romance de Salman Rushdie, finalista do Booker Prize de 2019, A Vida Brinca Comigo, de David Grossman, Alamedas Escuras, de Ivan Búnin, o primeiro escritor russo a receber o Prémio Nobel da Literatura, em 1933, A Faca, de Jo Nesbø, e ainda Pátria, de Fernando Aramburu. A Asa vai lançar o primeiro livro de Christopher Paolini, autor do bestseller Eragon, para adultos, Dormir num Mar de Estrelas. O volume surge nove anos depois do final da saga de Eragon.

Uma História de Espanha, um “relato pessoal e pouco ortodoxo” da história espanhola por Arturo Pérez-Reverte, vai sair pela Asa a 15 de setembro. O escritor vai estar em Portugal neste mês de setembro para o lançamento do livro. Pela mesma editora vai também ser lançado Meninas Sem Nome, de Serene Burdick, e Encontro à Meia-Noite, um novo mistério de Hercule Poirot, escrito por Sophie Hannah. A Imprensa Nacional – Casa da Moeda e a Companhia das Ilhas vão lançar o segundo volume da poesia de Vitorino Nemésio, no âmbito da coleção das obras completas do escritor. Os poemas reunidos neste livro dizem respeito aos anos de 1950 e 1959.

A Caminho vai publicar um volume que reúne os dois títulos que Luís de Freitas Branco dedicou a Beethoven, com o título Beethoven — Vida e Personalidade. O livro chega às livrarias no final do mês, no dia 29. A Suma de Letras vai lançar uma biografia de António Variações, de Bruno Horta. História da ETA, de Diogo Noivo, vai sair pela BookBuilders. Manipular Darwin, um livro de Jamie Metzl, especialista em tecnologia futurista, sobre como a engenharia genética está a transformar a humanidade, vai ser editado pela Desassossego, uma chancela da Saída de Emergência.

Pela Vogais vão sair O Voluntário: A História Real de um Herói da Resistência que se Infiltrou em Auschwitz, de Jack Fairweather, e Estados Desunidos da América: A Ascensão do Populismo, de Oliver Stone e Peter Kuznick. A Tinta-da-China vai lançar Portugal na Era dos Homens Fortes, um ensaio de Bernardo Pires de Lima sobre o confronto entre democracia e autoritarismo, e “Virar Travesti”: Trajetórias de vida, prostituição e vulnerabilidade, de Nélson Alves Ramalho. Já a Edições 70 vai fazer chegar às livrarias Uma História Radical do Mundo, uma obra de Neil Faulkner que relaciona a história global com as revoltas sociais, e Elogio da Bicicleta, de Marc Augé.

A Casa das Letras vai publicar, em setembro, Alcora, a história de um acordo militar secreto que uniu Portugal, África do Sul e Rodésia, entre 1970 e 24 de abril de 1974, contada por Vicente Paiva Brandão. A Dom Quixote vai editar em setembro Deus e o Mercado, um “diálogo provocador” entre religião e economia, de João César das Neves, Padre Vítor Milícias e Nicolau Santos, e A Sorte do Diabo, um livro do historiador britânico Ian Kershaw sobre a “Operação Valquíria”, a tentativa falhada de assassinar Hitler. Pela Oficina do Livro, vai sair Dilúvio sem Deus. As Grandes Cheias do Tejo de 1967, de Joana Amaral Dias, e Os Que Desapareceram em Auschwitz — A História Real da Minha Família em Auschwitz, de Michael Rosen.

A Caminho vai publicar O Leão sem juba, o elefante e a casa sem telhado, de Rita Taborda Duarte e Rachel Caiano. Pela Fábula vai sair uma edição ilustrada de A Alma Perdida, com texto de Olga Tokarczuk e ilustrações de Joanna Concejo. Pela mesma chancela, vai ainda sair A Orquestra, um álbum ilustrado sobre o mundo da música, os compositores, os instrumentos e as grandes salas de concertos, e Fábulas de Esopo, com uma seleção de oito contos.