A Área Metropolitana de Lisboa (AML) recebeu sete propostas para a prestação do serviço rodoviário nos 18 municípios da região, através de um concurso público internacional que visa aumentar em 40% a oferta disponível, divulgou esta quarta-feira esta entidade.

O prazo para apresentação de propostas para a aquisição do serviço público de transporte rodoviário de passageiros na Área Metropolitana de Lisboa terminou na noite de terça-feira e abrangeu os quatro lotes disponíveis, dois na margem Norte do Tejo e dois na Península de Setúbal, segundo referiu a AML em comunicado.

O júri irá agora verificar a conformidade das candidaturas com as exigências do concurso, e demais obrigações legais, e apurar o vencedor de cada um dos lotes”, explica a nota.

Segundo este concurso público internacional, lançado em fevereiro deste ano, no valor de 1,2 mil milhões de euros, todos os autocarros na AML vão pertencer à marca única Carris Metropolitana até meados de 2021, adotando a cor amarela tradicional da empresa que até agora só serve Lisboa.

Fora deste concurso fica a prestação de serviços de transporte municipal no Barreiro, Cascais e Lisboa.

A AML perspetiva que, com a implementação de um novo operador, poderá aumentar em 40% a oferta de serviço de transportes rodoviários, face ao que existia antes da situação pandémica.

A apresentação das propostas encerra, deste modo, uma etapa fundamental no processo, que a AML conduz, com vista ao reforço do serviço de transporte de passageiros e à sua qualificação, desde logo, com uma significativa renovação da frota e níveis superiores de serviços tecnológicos de informação ao público e entretenimento a bordo”, conclui a nota.

Os 18 municípios que integram a AML são Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.