A DX-UC Data Science Academy vai regressar em modo remoto. O projeto impulsionado pela Talkdesk em parceria com o Departamento de Engenharia Informática da Universidade de Coimbra abriu esta quarta-feira as candidaturas para o terceiro módulo e dirige-se a pessoas com competências de estatística, programação em Python e machine learning (software inteligente que aprende com padrões). Os 15 candidatos escolhidos para integrar a edição de 2020 começam as aulas a 12 de outubro.

“A área de Data Science tem recebido muita atenção no panorama tecnológico e empresarial pelo seu impacto no crescimento dos negócios e no desenvolvimento de novas tecnologias, contudo a escassez de profissionais tem condicionado o crescimento da especialidade”, lê-se no comunicado enviado esta quarta-feira pela Talkdesk. As candidaturas estão abertas até 20 de setembro.

Depois de terem avançado com dois módulos, a academia teve de parar por causa da pandemia. Mas, para João Coelho, diretor de talento do TDX (laboratório de inovação da Talkdesk), “é uma oportunidade para alargar o impacto” do programa. O TDX-UC Data Science Academy introduz formações em áreas como Processamento de Linguagem Natural (NLP), Behavioural Prediction e Deep Learning, esta última a lecionar no novo módulo.

Para a startup portuguesa, tendo em conta o contexto atual, o formato remoto afigura-se como a escolha mais acertada. “Estamos preparados, neste momento, para assumir a partilha eficiente de conhecimento neste formato. Temos, por este motivo, a ambição de alargar o alcance da iniciativa, mantendo a sua qualidade e a satisfação de todos os participantes, podendo chegar a ainda mais pessoas, com diferentes backgrounds e em diferentes geografias”.

O unicórnio (empresa avaliada em mais de mil milhões de dólares) foi fundado por Tiago Paiva e Cristina Fonseca em 2011 e fechou uma ronda de investimento série C no valor de 143 milhões de dólares, em julho, que a avalia em mais de 3 mil milhões.

Unicórnio Talkdesk avaliado em 3 mil milhões de dólares após nova ronda de financiamento

Com sede em São Francisco, no EUA, a empresa tem também cinco escritórios em Portugal, sendo que em março revelou a abertura do último, em Oeiras, para o qual pretendia contratar cerca de 100 pessoas até ao final do ano. Em Coimbra e Aveiro, a startup tem também os laboratórios TDX, dedicados a explorar tecnologias emergentes.