O governo dos Estados Unidos da América (EUA) declarou esta quinta-feira, numa nota envida à agência Lusa, que as acusações do empresário Alex Saab de estar a ser torturado em Cabo Verde são “patentemente falsas”.

Na declaração enviada esta quinta-feira à Lusa, Morgan Ortagus, a porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, afirma que “as alegações de tortura de Saab são patentemente falsas” e que fazem parte de uma “campanha agressiva de mentiras e desinformação” do Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, “na tentativa de influenciar o processo judicial e influenciar a opinião pública cabo-verdiana e internacional”.

O empresário Alex Saab denunciou, na segunda-feira, em carta citada pelo jornal El Mundo que “os Estados Unidos têm quatro empregados naturais de Cabo Verde” que o estão a torturar na prisão deste país, onde está detido.

Venezuela. Alegado testa-de-ferro de Nicolás Maduro detido em Cabo Verde queixa-se de tortura

A porta-voz do Departamento de Estado acrescenta que “apesar da tremenda pressão política”, os EUA mantêm “fé e confiança na integridade do sistema judicial de Cabo Verde”, que classifica de “modelo regional de adesão ao Estado de direito”.

Os Estados Unidos acusam o empresário colombiano Alex Saab de ter branqueado 350 milhões de dólares para pagar atos de corrupção do Presidente venezuelano através do sistema financeiro dos Estados Unidos.