A Câmara do Funchal ativou o plano de contingência interno depois de ter sido informada pela autoridade regional de saúde da Madeira que um dos seus trabalhadores havia testado positivo à Covid-19, anunciou esta sexta-feira a autarquia.

“A Câmara Municipal do Funchal informa que, esta sexta-feira, dia 4 de setembro, teve conhecimento por parte do IASaúde de que um trabalhador da Fiscalização Municipal testou positivo à covid-19, na sequência de um contacto estabelecido durante o seu período de férias”, pode ler-se no comunicado divulgado pela autarquia. De acordo com a mesma nota, o trabalhador “não apresentava sintomas” e regressou de férias em 29 de agosto, apresentando-se ao serviço na segunda-feira. O documento emitido pelo município funchalense acrescenta que “o trabalhador auto isolou-se na sua residência desde a passada terça-feira, dia 01 de setembro”, após saber que uma pessoa com quem tinha privado nas férias havia testado positivo”.

Também refere que foi o funcionário camarário quem contactou o IASaúde e “ficou a aguardar a realização do teste”, cujo resultado ficou concluído n quinta-feira, “encontrando-se ainda assintomático”.

“Assim que a Câmara Municipal do Funchal teve conhecimento do caso positivo, foi ativado o plano de contingência interno e feitas todas as diligências necessárias para ajudar a identificar eventuais contactos ocorridos, em estreita colaboração com o Delegado de Saúde do Funchal”, destaca a autarquia.

O serviços de Fiscalização Municipal, no qual trabalhava este funcionário, “foi encerrado esta manhã  procedendo-se à sua higienização integral”, indicou a autarquia.

De acordo com os últimos dados revelados na quinta-feira pela autoridade regional de saúde, a Madeira regista 43 casos ativos e apresenta um cumulativo de 167 doentes, 124 dos quais recuperados.

A pandemia de Covid-19 já provocou pelo menos 869.718 mortos e infetou mais de 26,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.833 pessoas das 59.457 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.