Uma das principais fábricas do maior produtor de cerveja do mundo, a AB InBev, está parada desde quinta-feira devido à descoberta de um surto de infeção do novo coronavírus, indicou esta sexta-feira fonte sindical. Trata-se da fábrica de Jupille-sur-Meuse, perto de Liége (leste da Bélgica), município que inspirou o nome da Jupiler, uma das marcas mais conhecidas do gigante cervejeiro.

Nove empregados testaram positivo para o novo coronavírus nos últimos oito dias e um deles está hospitalizado num “estado crítico”, disse à agência France Presse Patrick Rehan, do sindicato socialista FGTB, criticando a direção por ter “demorado” a tomar as medidas adequadas. “O local está fechado desde ontem (quinta-feira)”, adiantou o responsável sindical.

O surto foi descoberto no departamento de logística e transporte, que tem uma centena de empregados de um total de 750 na fábrica.

Numa reunião esta sexta-feira com representantes da direção do grupo os responsáveis sindicais pediram que os dirigentes fossem afastados, segundo Rehan. Questionada pela AFP, a administração não respondeu.

O FGTB indicou que uma centena de empregados da fábrica foi testado desde quinta-feira.

A multinacional cervejeira belga AB InBev fabrica também marcas como a Stella Artois, Corona ou Budweiser, além de dezenas de outras a nível local. A Jupiler dá nome ao campeonato de futebol da Bélgica por questões de patrocínio.

A Bélgica é um dos países europeus mais afetados pela Covid-19 em números absolutos. Os dados de hoje das autoridades dão conta de 86.544 infetados e 9.899 mortos, o que revela uma das maiores taxas de mortalidade no mundo em relação à população de cerca de 11,5 milhões de habitantes.

A pandemia de Covid-19, é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro na China, já provocou pelo menos 863.679 mortos e infetou mais de 26 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo um balanço da agência France Presse.