O turismo na União Europeia (UE) sofreu uma quebra de 75% em junho face a fevereiro, em consequência da pandemia de Covid-19, segundo dados esta sexta-feira divulgados pelo Eurostat.

De acordo com o gabinete estatístico europeu, o setor do turismo recuou 75% entre fevereiro (quando o coronavírus SARS-Cov-2 chegou à Europa) e junho, enquanto os restantes serviços apresentaram uma quebra de 16,4%.

No setor do turismo, as agências de viagens e operadores sofreram as maiores quebras na sua atividade (-83,6%), seguindo-se o transporte aéreo (-73,8%), alojamento (-66,4%) e restauração (-38,4%). Com o alívio das medidas de confinamento, o setor da restauração e similares foi o que mais recuperou entre abril e junho, seguindo-se o do alojamento, com o transporte aéreo a subir ligeiramente e o setor das agências e operadores turísticos a manter-se basicamente no mesmo nível.

O Eurostat indica ainda que o setor da hotelaria e alojamento pesou 79,0 mil milhões de euros em 2017 na UE, o que representa 1,3% do valor acrescentado da economia empresarial não financeira, e a restauração e similares 96,4 mil milhões (1,6%), com quotas de emprego de 1,9% e 4,0%, respetivamente.

A pandemia de Covid-19 já provocou pelo menos 863.679 mortos e infetou mais de 26 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal morreram 1.829 pessoas das 59.051 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China. Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.