Foi na primeira quinzena de maio que Portugal começou a desconfinar. Na altura, os números de novos casos diários rondavam os 200 (eram 289 a 1 de maio e 203 no dia seguinte), apesar de os números de doentes internados ainda serem na altura bastante elevados — estavam 892 pessoas internadas a 1 e maio, por exemplo. Mas foi a 6, 7 e 8 de maio que se registou o maior pico: uma subida de 480 casos na quarta-feira, dia 6, depois uma subida de 533 casos na quinta-feira, dia 7, e por fim uma subida de mais 553 novos casos na sexta-feira, dia 8 de maio. No sábado seguinte, altura em que por norma há menos registo de dados, a fasquia baixaria para 138 novos casos e para 175 no domingo.

Desde aí que não se registavam números tão altos. Até hoje. E logo um sábado, sendo que a DGS é a primeira a admitir que no fim de semana há mais falhas nos registos informáticos, que são depois acertados na segunda e terça-feira seguintes (ainda que os dados divulgados este sábado reportem aos valores registados até à meia noite de sexta-feira, e revistos ao 12h de sábado). Mas este sábado foi exceção, com o boletim diário da DGS a registar um aumento de 486 novos casos de Covid-19 em território nacional face ao dia anterior (os dados são recolhidos até à meia noite e revistos ao meio-dia do dia seguinte).

Cinco mortos e 486 novos casos em 24 horas em Portugal

A tendência dos últimos dias tem sido essa: ontem, o aumento de novos casos foi na ordem dos 406 e anteontem na ordem dos 418. Só no dia 2, quarta-feira, a fasquia tinha ficado abaixo dos 400 (com 390 novos casos), e, no dia anterior, tinham sido registados apenas 231 casos novos de infeção no país.

Em maio, última vez em que os números foram tão altos, o país estava a iniciar a primeira fase de desconfinamento (iniciou-se a 4 de maio), com o Governo a decretar a abertura gradual de lojas mais pequenas e espaços comerciais como cabeleireiros. A segunda fase avançaria a 18 de maio com a abertura de restaurantes e estabelecimentos comerciais de maiores dimensões.

Mais 5 mortes, quase todas na região de Lisboa

De acordo com o boletim diário da DGS, a maioria dos novos casos de infeção registados nas últimas 24 horas ocorreu na região de Lisboa (mais 230 casos), com o Norte a registar também mais 200 casos e o Centro apenas mais 39. O Alentejo registou apenas mais 5 casos, e o Algarve mais 9. A Madeira aparece com mais quatro casos e os Açores não registaram, nas últimas 24 horas, nenhum caso novo de Covid-19.

De acordo com uma nota que consta do boletim, este sábado foi feita uma correção nos números dos Açores, registando-se um total de 215 casos e 15 mortes desde o início da pandemia. “O relatório de hoje reflete uma descida do número total de casos da região dos Açores, por força da necessidade de correção da série histórica e da real atribuição dos mesmos a outra região de saúde”, pode ler-se.

Em relação a óbitos, morreram mais cinco pessoas de ontem para hoje, sendo que, das cinco mortes registadas, quatro registaram-se na Região de Lisboa e Vale do Tejo e uma na Região Centro. No total, a Covid-19 já fez 1.838 vítimas mortais e 59.943 infetados desde o início da pandemia em Portugal.

O número de internados em unidades de saúde e hospitais, que é um dos barómetros mais referidos pelo Ministério da Saúde para avaliar a capacidade de resposta à pandemia, continua a subir, mas pouco. Registaram-se este sábado mais seis pessoas internadas (no total, há 345 doentes internados), e mais uma pessoa internada em cuidados intensivos em relação ao dia de ontem. No total, estão 41 pessoas internadas em cuidados intensivos em Portugal, segundo as informações divulgadas pela DGS. Ontem, por exemplo, tinha havido um acréscimo de 5 doentes internados, mas quatro pessoas tinham saído dos cuidados intensivos.

Em relação ao número de doentes recuperados, há mais 217 recuperados, segundo o boletim diário divulgado pela Direção Geral de Saúde, número que continua a crescer. Ontem, havia mais 149 recuperados, e anteontem mais 194. Desde 13 de agosto que este número não era tão alto, altura em que o número de recuperados atingiu os 237.