Foi encontrado morto o suspeito do homicídio em Lalim. A informação foi confirmada pela Polícia Judiciária, que em comunicado esclarece que a presumível causa da morte terá sido suicídio, cometido pouco tempo após o crime. O corpo foi encontrado numa zona florestal daquela freguesia de Lamego e vai ser sujeito a autópsia médico-legal.

Homicídio em Lamego: suspeito procurado há quatro dias, polícia admite a possibilidade de estar morto

Em causa está o crime de homicídio cometido na sexta-feira, dia 14 de agosto. Como o Observador relatou na altura, uma mulher de 56 anos dirigia-se para o seu local de trabalho, a fábrica Fumeiro Porfírios, em Lalim, com uma colega, quando foi surpreendida pelo ex-marido.

Segundo confirmou ao Observador, na altura, fonte oficial do Comando Territorial de Viseu da GNR, o homem, de 63 anos, disparou, com uma arma de fogo, sete vezes, atingindo mortalmente a ex-mulher e baleando a sua colega na perna. Esta chegou a ser hospitalizada, mas já se encontra “fora de perigo”.

O alegado autor do crime foi acusado no ano passado de violência doméstica, mas o juiz de instrução acabou por determinar a suspensão provisória do processo, pelo período de oito meses, que ainda estava a decorrer. Na altura, o agressor foi obrigado a pagar 300 euros e estava proibido de se aproximar da ex-mulher, que acabou por sair de casa e avançar com o processo de divórcio.

Quatro dias depois do crime, o Observador já dava conta da suspeita das autoridades de que o alegado homicida tivesse cometido suicídio. “A casuística indica-nos que isso pode acontecer”, disse fonte da GNR, explicando que, neste tipo de crimes, o suicídio após o homicídio acontece de forma recorrente.

Foi logo nessa altura que as buscas pelas imediações da vila de Lalim e pela zona florestal próxima do local do crime passaram a incluir cães pisteiros, capazes de detetar odor a cadáver. Este sábado, três semanas depois do crime, o corpo do homicida de Lalim foi finalmente encontrado.