Quatro caças F16M da Força Aérea Portuguesa chegaram esta sexta-feira à Polónia para participar numa missão da NATO de “tranquilização” do flanco leste da Aliança, que envolve 70 militares daquele ramo, informou o Estado-Maior-General das Forças Armadas.

Este destacamento (na NATO Assurance Measures 2020, sigla em inglês) terá a duração aproximada de dois meses e o comando tático será assegurado pelo Centro de Operações Aéreas Combinadas da NATO, situado em Uedem, na Alemanha, acrescenta um comunicado do EMGFA.

Esta missão tem como objetivo reforçar o empenho no flanco leste do espaço da Aliança, através da participação em treinos e exercícios combinados com forças aliadas.

“Pretende-se assim reafirmar o compromisso de defesa coletiva, exercitar a interoperabilidade e dissuadir possíveis ameaças”, sublinha-se no comunicado das Forças Armadas.

O contingente nacional está preparado para “efetuar diversas tipologias de missão, com particular relevo para as missões Ar-Ar e Ar-Solo, o que constitui um contributo valioso para o treino das forças e países parceiros da NATO nesta região estratégica”, refere ainda o texto do EMGFA.