O Presidente da Albânia convocou para 25 de abril de 2021 as próximas eleições legislativas, uma condição decisiva para o início das conversações de adesão à União Europeia.

O Presidente Ilir Meta anunciou este domingo a data para a eleição dos 140 novos deputados na sequência de recentes conversações com os partidos políticos e as prévias alterações constitucionais que legitimaram uma nova lei eleitoral.

As eleições na Albânia desde o final do antigo regime totalitário em 1991 têm sido assinaladas por acusações de irregularidades, incluindo a compra de votos e manipulações na contagem final.

Em julho, o parlamento aprovou dominado pelo Partido Socialista (PSSh, no poder), aprovou sem o consenso da oposição de centro-direita, uma reforma da Constituição que permitia a abertura das listas eleitorais.

Na ocasião, e à semelhança das forças da oposição, Ilir Meta, qualificou de “golpe de Estado” a alteração da Constituição, ao considerar que “aniquilava” quer a reforma eleitoral acordada, quer o “processo de integração europeia do país”.

Na Albânia, o sistema eleitoral apenas previa a votação em partidos políticos e não em candidatos eleitorais, que não surgiam nas listas, um método que vai passar a ser aplicado.

A decisão agora acordada foi entendida como uma forma de despolitizar a Comissão eleitoral nacional e seguiu-se a recomendações da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), que tem monitorizado os escrutínios no país balcânico.

As alterações foram garantidas após uma mediação dos Estados Unidos, União Europeia e Reino Unido, que garantiram um consenso entre os principais partidos políticos do país, incluindo o conservador Partido Democrático (PDSh) e o Movimento Socialista para a Integração (LSI).

Desde a queda do regime de Enver Hoxha há 30 anos que as eleições na Albânia, um país membro da NATO, decorrem num ambiente de grande conflitualidade e desconfiança política, com constantes acusações de fraude por parte dos partidos derrotados, e que geralmente recusam reconhecer os resultados eleitorais.