Várias pessoas foram esfaqueadas na noite de sábado para domingo em Birmingham, a segunda maior cidade de Inglaterra, no centro do país. Pelo menos uma pessoa morreu, e duas outras estão em estado crítico, havendo mais cinco outros feridos. As autoridades afirmam que se tratou de um “incidente grave” e já iniciaram uma investigação por homicídio, estando um suspeito a monte.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, que cita a polícia de West Midlands, a polícia foi chamada ao local por volta da meia-noite e meia, deste domingo, para responder ao alerta de um “esfaqueamento” no centro da cidade, tendo depois sido avisada de que outros incidentes semelhantes tinham ocorrido pouco tempo depois.

As autoridades estabeleceram imediatamente um perímetro e impediram as pessoas de passar, tendo logo chamado reforços. Apesar de terem começado por não revelar o número de feridos, a gravidade dos ferimentos ou as motivações, a Sky News avança que a polícia está a trabalhar na tese de “ataque aleatório sem motivo aparente”, não havendo indícios de terrorismo ou envolvimento de gangs rivais.

Perante os relatos de que “foram ouvidos disparos”, a polícia adianta que não lhe chegou nenhum relato fidedigno de que tivessem estado armas de fogo envolvidas no “incidente grave”, como descreveram as autoridades.

Segundo testemunhas ouvidas pela BBC, poderia ter-se tratado de “um grupo de rapazes contra outro”, mas a polícia parece estar a rejeitar essa tese. “Não é que estivessem a discutir e depois começaram à luta, começaram logo à luta sem falarem muito antes disso”, afirmava Cora, uma testemunha, à BBC.

Em comunicado, a polícia começou por dizer que “os serviços de emergência estão a trabalhar em conjunto para garantir que os feridos recebem tratamento”. “Ainda há trabalho a fazer para perceber o que aconteceu, e pode demorar tempo até estarmos em posição de o fazer. Nesta fase, contudo, não seria apropriado especular sobre as causas do incidente”, lê-se, no comunicado citado pelo Guardian.

No Twitter, a polícia ainda afirmou que estava ciente de que imagens na televisão estavam a mostrar uma detenção, mas garantiu que não se tratava de nada relacionado com o caso dos esfaqueamentos desta madrugada.

A polícia avança agora que um suspeito está a ser procurado, não tendo sido feitas detenções até ao momento. “Podemos confirmar agora que iniciámos uma investigação de homicídio na sequência dos eventos desta madrugada”, disse a polícia numa conferência de imprensa este domingo. “Um homem morreu e outro homem e mulher estão em estado crítico. Mais cinco outras pessoas estão feridas”, adiantou ainda.