Em 2018, o Governo liderado por Putin surpreendeu o mundo ao apresentar a nova (e a primeira) marca de automóveis de luxo russa, a Aurus. Com grande “inspiração” na Rolls-Royce, a Aurus surgiu inicialmente com uma berlina de luxo em versão alongada e blindada, a Senat, concebida para Putin, para os líderes dos países seus amigos e também para os magnatas locais, a que se juntou depois um SUV (denominado Komendant) e uma berlina de bitola normal e não blindada.

Quer um Rolls-Royce barato? Compre um russo

A Aurus volta agora a ser notícia por tentar fazer nas duas rodas o que conseguiu nas quatro, apresentando a sua primeira moto. Denominada Aurus Escort, foi pensada como uma moto eléctrica, com um estilo tipo tourer – a fazer lembrar a Honda Gold Wing –, o que melhor se adapta a grandes passeios, mas também às necessidades dos seguranças que acompanham as comitivas de Putin e dos seus colegas do Governo.

Putin investiu 165 milhões numa limusina. Porquê?

O Kremlin não divulgou muitos dados sobre a moto eléctrica, mas sabe-se que a Escort monta um motor com 152 cv, capaz de a levar aos 240 km/h. Como se desconhece a capacidade da bateria, que nunca é grande nas motos, não se sabe qual a autonomia da Escort para acompanhar o cortejo ou proteger Putin no caso de eventuais ataques. Sendo certo que, se a missão for cumprida a 240 km/h, a perseguição vai terminar em (poucos) minutos, para retomar num intervalo próximo de 60 minutos. E como Putin gosta de montar, sendo públicas as fotos em que surge em cima de corcéis em pêlo, é dado como certo que o líder russo se irá deslocar igualmente na Aurus Escort. Mas só a partir de 2022, quando a produção arrancar.