Alexandra Zarini, herdeira e bisneta do fundador da Gucci, Guccio Gucci, acusou o ex-padrasto, Joseph Ruffalo, de abuso sexual e a mãe, Patricia Gucci, e a avó, Bruna Palombo, de cumplicidade e encobrimento.

Segundo o jornal The New York Times, Alexandra, de 35 anos, entrou esta terça-feira com uma ação no Tribunal Superior da Califórnia, em Los Angeles, no qual denuncia 16 anos de abuso sexual por parte de Ruffalo, um empresário no ramo musical.

No documento, Alexandra revela que o ex-padrasto abusou dela desde os 6 até aos 22 anos e que a mãe sabia. Mais, que até permitia que este a filmasse nua no banho. Alexandra queixa-se, segundo a ação que apresentou em tribunal, de ter sofrido ameaças por parte da mãe e da avó para que se mantivesse em silêncio, pois o escândalo poderia “manchar o legado da Gucci”.

Alexandra acusa, ainda, o padrasto de a “encorajar a usar drogas”, reconhecendo o uso de cocaína e metanfetamina.

Em entrevista ao NYT, Alexandra conta que com o tempo e após descobrir que Ruffalo era voluntário num hospital infantil em Los Angeles conseguiu coragem para apresentar queixa contra o músico.

Numa declaração enviada por e-mail ao The New York Times, PatriciaGucci afirmou lamentar “profundamente” a dor que o ex-marido causou a Alexandra e disse ter ficado “arrasada” quando esta revelou os abusos no consultório médico da família em Londres, em 2007. Segundo esta, ao tomar conhecimento de tudo, “imediatamente” iniciou o processo de divórcio.

“Estou igualmente arrasada com as acusações contra mim e a avó, que são completamente falsas”, declarou Patricia Gucci.

O advogado de Ruffalo declarou, por seu turno, que o músico só agora teve conhecimento das acusações, que garante serem falsas, e que quando foi casado com Patricia Gucci, a sua maior preocupação era a saúde mental de Alexandra que estava “instável”, mas que o “esforço falhou”.