10 anos. Há 10 anos, 10 épocas, uma década, que o Benfica marcava sempre presença na fase de grupos da Liga dos Campeões. Esta terça-feira, a eliminação na Grécia perante o PAOK ditou a saída prematura dos encarnados da principal competição europeia e a queda para a fase de grupos da Liga Europa. Acima disso, porém, a eliminação na Grécia significa a ausência de um encaixe financeiro que esteve presente nos últimos 10 anos e que foi interpretado como preponderante na preparação da abordagem ao mercado de verão.

Cebolinha queria abrir as páginas da BD mas Zivkovic lembrou que era dia de tragédia grega (a crónica do PAOK-Benfica)

Com as contratações de Everton Cebolinha, Darwin, Pedrinho, Waldschmidt, Gilberto, Vertonghen e Helton Leite, o Benfica gastou 80 milhões na janela de transferências que ainda não encerrou — e onde está a fazer movimentações, por exemplo, com o objetivo de contar com Rúben Semedo. Pelas contas do Transfermarkt, quer isto dizer que o Benfica é já a equipa com o maior investimento esta época a ficar de fora da Liga dos Campeões, já que só Chelsea, Barcelona, Atl. Madrid e Inter Milão gastaram mais do que os encarnados.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.