A Câmara de Paredes (PS) negou esta quarta-feira que a ligação da zona industrial de Rebordosa à A41 tenha custado mais 300 mil euros que o previsto, como acusou o PSD local, que encaminhou o caso para a Inspeção-Geral de Finanças.

Num esclarecimento enviado à agência Lusa, após a conferência de imprensa social-democrata onde se defendeu haver “fortes indícios” de irregularidades na empreitada, a gestão socialista indicou que em 2017 a obra foi adjudicada por 297 mil euros, apontando para uma ligação entre a rotunda da A41, já existente em Gandra, à empresa Fernando Moreira dos Santos, no início da rua Fonte Bolida, em Gandra

Mais tarde, segundo a câmara, foram lançadas mais duas empreitadas, uma que previa a ligação entre a rua Fonte Bolida e avenida Zona Industrial de Rebordosa, no valor de 149 mil euros, e outra de execução de infraestruturas na Zona Industrial de Rebordosa/Gandra, no valor de 148 mil euros.

O que o PSD está a fazer de uma forma demagógica, para tentar denegrir a imagem deste executivo, é somar o valor destas três empreitadas, que são trabalhos distintos, dizendo que a obra inicial sofreu uma derrapagem”, lê-se no esclarecimento.