459kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Portofino "salta" para 620 cv e recebe nova caixa de 8 velocidades

Este artigo tem mais de 1 ano

O Portofino é um dos superdesportivos mais “completos” ou não fosse este Cavallino Rampante capaz de transportar mais de dois. A letra “M” apimenta-o, puxando o 3.9 V8 biturbo até aos 620 cv.

7 fotos

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O “M” poderia ser de maravilha, mas significa “modificata” (modificada em italiano), termo a que habitualmente a Ferrari recorre sempre que revela uma versão mais evoluída de um dos desportivos que compõem a sua gama. Neste caso, o descapotável Portofino, que serve de base para um novo M.

Por ser o primeiro Ferrari a ser apresentado após o encerramento temporário do fabricante de Maranello, devido à pandemia, o novo Portofino M é posicionado como um “Spider GT 2+” para “redescobrir as estradas” neste regresso à (possível) normalidade. Na prática, trata-se de uma proposta com pouquíssimas alterações em termos de design, de tal forma que é preciso um olhar muito atento para descortinar diferenças. Avalie por si mesmo, neste lado a lado.

Mais importantes do que as alterações estéticas são as mudanças mecânicas, com um claro upgrade. Os engenheiros de Maranello concentraram-se em extrair do 3.9 V8 biturbo uma dose extra de potência, levando-o a passar dos 600 para 620 cv às 7500 rpm, sem variações no binário máximo (760 Nm), que continua a ser alcançado num regime entre as 3000 e as 5250 rpm. A transmissão também é nova, ganhando uma oitava relação. Trata-se de uma caixa automática de dupla embraiagem do tipo húmido (banhada a óleo), baseada na caixa do SF90 Stradale, que ocupa menos 20% do espaço e suporta mais 35% de torque, segundo a Ferrari.

Outra das novidades, certamente bastante apreciada pelos entusiastas da marca, é a introdução do famoso selector de modo de condução da Ferrari, inspirado na Fórmula 1. Neste caso, o Portofino M recebe um Manettino de cinco posições, o que permite ao condutor ir variando entre os modos Wet (para piso molhado), Comfort, Sport, Race e ESC-Off.

Este conjunto de alterações tem reflexos ligeiros nas prestações, com a barreira dos 0-100 km/h a ser ultrapassada em 3,45 segundos, quando o Portofino cumpre a mesma tarefa em 3,5 segundos. Já os 0-200 km/h ficam para trás em 9,8 segundos no M, o que significa um ganho de um segundo face ao Portofino. E se este assumia 320 km/h como velocidade máxima, agora a Ferrari fala em franquear essa fasquia. Não se compromete, contudo, com um número concreto.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.