Angola registou nas últimas 24 horas mais 114 casos de Covid-19 e uma morte, segundo o balanço epidemiológico apresentado esta quinta-feira pelo Secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda.

Dos novos casos, cinco foram reportados em Cabinda, dois na Huíla, um no Cuanza Sul, 19 no Huambo e outros 87 em Luanda.

As idades variam entre um mês e 80 anos, sendo 84 infetados de sexo masculino e 30 do sexo feminino.

Um angolano de 78 anos do Huambo morreu devido à doença e quatro pessoas foram dadas como recuperadas desde quarta-feira.

Angola totaliza 3.789 casos da doença, incluindo 144 mortes, 1.405 recuperados e 2240 ativos, entre os quais um em estado crítico e 13 graves.

Os laboratórios processaram 1.280 amostras, atingindo um total de 70.195.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 941 mil mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 1.888 em Portugal, e mais de 29,9 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em África, há 33.251 mortos confirmados em mais de 1,3 milhões de infetados em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, Angola lidera em número de mortos e Moçambique em número de casos. Angola regista 144 mortos e 3.789 casos, seguindo-se a Guiné Equatorial (83 mortos e 5.000 casos), Cabo Verde (49 mortos e 5.063 casos), Moçambique (39 mortos e 6.161 casos), Guiné-Bissau (39 mortos e 2.303 casos) e São Tomé e Príncipe (15 mortos e 906 casos).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.