A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) emitiu, esta quinta-feira, um aviso à população devido às previsões de mau tempo, nomeadamente precipitação, vento e agitação marítima, nas próximas 48 horas.

Em comunicado, a Proteção Civil refere que, para quinta e sexta-feira, prevê-se chuva por vezes forte, acompanhada de trovoada, durante a tarde, e vento moderado, “por vezes forte (até 40 km/h) nas terras altas, com rajadas até 70 km/h, em especial durante a tarde”.

O vento deverá intensificar-se na sexta-feira, “com rajadas até 75 km/h nas regiões Centro e Sul, em especial na região Sul, sendo até 85 km/h nas terras altas, durante a tarde e noite”. Não se exclui também fenómenos extremos de vento nos dois dias, ainda que “a acontecer serão muito localizados”. Para sexta-feira, prevê-se ainda agitação marítima até três metros no Algarve.

Face a estas previsões, a ANPC alerta para vários efeitos:

  • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água”;
  • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem”;
  • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis”;
  • “Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem”;
  • “Danos em estruturas montadas ou suspensas”;
  • “Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis”;
  • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte”;
  • “Possíveis acidentes na orla costeira”;

No documento, a Proteção Civil recorda que o possível impacto destes efeitos pode ser minimizado, especialmente se se adotarem comportamentos adequados e deixa algumas recomendações:

  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas”;
  • “Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias”;
  • “Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas”;
  • “Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas”;

Este aviso surge após o contacto feito esta quinta-feira com Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).