O ex-presidente do BES, Ricardo Salgado, foi condenado pelo Banco de Portugal a pagar mais uma coima, desta vez no valor de 4 milhões de euros no processo sobre o veículo suíço Eurofin e por operações que lesaram aquela instituição financeira, adianta o Expresso.

De acordo com aquele jornal, o conselho de administração do Banco de Portugal condenou a 8 de setembro (portanto, já com Mário Centeno a presidi-lo) o ex-presidente do BES a uma coima de 4 milhões de euros por “prática de atos de gestão ruinosa praticados em detrimento de depositantes, investidores e demais credores”, violação das regras de prevenção de conflitos de interesse e também desobediência a determinações do supervisor.

À coima de Ricardo Salgado, soma-se ainda uma de 3,5 milhões de euros para Amílcar Morais Pires e uma de 1,25 milhões de euros a José Manuel Espírito Santos (ambos ex-administradores do BES, sendo este último primo de Ricardo Salgado). Ambos são multados por desobediência ilegítima à determinação do supervisor, detalha o Expresso.

Estas decisões são ainda passíveis de recurso, ao contrário de outra duas coimas recebidas por Ricardo Salgado e que já transitaram em julgado — a maior de todas no valor de 3,7 milhões de euros.