A Brigada do Mar, uma associação de voluntários que desenvolve ações de proteção da biodiversidade, está a realizar uma operação de limpeza das praias da costa alentejana, que culmina no sábado com a presença do ministro do Mar.

O objetivo desta iniciativa, desenvolvida em parceria com o projeto TransforMar, lançado pelo Lidl Portugal, é proceder à limpeza dos cerca de 65 quilómetros de areal contínuo, entre Troia e Sines, na costa alentejana, recolhendo resíduos de grandes dimensões, num total estimado de 12 toneladas.

“A primeira ação [em 2009] começou entre Troia e Melides e depois estendemos até Sines, exceto a Lagoa de Santo André, no concelho de Santiago do Cacém, que é limpa por outra organização, e, este ano, estamos a fazer uma ação que designamos por grandes volumes”, disse à agência Lusa Simão Acciaioli, um dos dinamizadores da Brigada do Mar, a assinalar 12 anos de existência. A ação de limpeza, que arrancou na segunda-feira, conta este ano com a participação de dez voluntários “experientes”, atentos a objetos “maiores do que uma garrafa de água de 1,5 litros” e com o objetivo “de libertar o complexo dunar deste lixo que se deposita, mata a vegetação fazendo com que a duna perca a sua capacidade de defesa da orla costeira”.

Oitenta e cinco por cento do que encontramos nas praias tem a ver com a atividade de pesca, muitas porque se perdem e outras porque as pessoas deixam no areal o lixo que produzem. Há muitos objetos que são bem mais acima do que uma garrafa de água e por isso, nesta semana, vamos tentar minimizar estes impactos dentro do tempo que temos”, adiantou. O lixo recolhido, que o voluntário estima “ficar longe das doze toneladas inicialmente previstas”, será separado e selecionado no recinto da Feira de Melides, no concelho de Grândola, distrito de Setúbal, e encaminhado posteriormente para tratamento, divulgou a associação em comunicado. “Julgo que estamos, felizmente, longe das 12 toneladas porque até agora devemos ter cerca de três toneladas. Isto é um fenómeno que temos verificado, limpeza após limpeza, e temos constatado que, nos últimos 12 anos, a quantidade de lixo que encontramos é mais reduzido”.

Em apenas quatro dias, a Brigada do Mar “já concluiu a limpeza do areal, entre Troia e Melides”, cerca de 45 quilómetros, seguindo-se, sexta-feira e sábado de manhã, “a limpeza da praia da costa do norte, em Sines”, no distrito de Setúbal.  “As equipas são mais reduzidas, com 10 elementos e três moto-quatro cedidas pela Yamaha mas, apesar da pandemia de Covid-19, não podemos parar porque dificuldades e desafios vão sempre existir”, explica o porta-voz da associação.

Ao abrigo da parceria com o projeto TransforMar, os resíduos em plástico e metal serão convertidos num valor que será doado a instituições de solidariedade social e o resultado desta ação será conhecido no próximo sábado, a partir das 16h, numa iniciativa que vai contar com a presença do ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos. “É bastante difícil explicar a quem não conhece a orla costeira, na zona mais selvagem, o nosso esforço, mas é fácil quando alguém chega a um sítio e vê o nosso lixo ao fim de uns dias e percebe a necessidade de limpar. Seguramente temos de arranjar outra forma de não poluir”, realçou.

No Dia Internacional da Limpeza Costeira, que se assinala hoje, o responsável apela para a importância de mudar comportamentos e para a capacidade de transformação. Nos últimos 12 anos, a associação já limpou em Portugal mais de 1.400 quilómetros de costa, retirou mais de 800 toneladas de lixo do areal e contou com mais de 6.000 voluntários, em mais de 350 dias efetivos de iniciativas de limpeza e sensibilização.