“Olá, Aniston!” É Brad Pitt quem se chega à frente e, numa sala virtual lotada, e dirige-se especificamente à ex-mulher. Ela não hesita e devolve o cumprimento. Ao entusiástico “Como estás?” de Pitt, a atriz responde “Estou bem, querido. E tu?”. O discurso espontâneo marca o arranque daquela que foi a primeira vez, desde o divórcio de ambos, que Brad Pitt e Jennifer Aniston trabalharam juntos.

O casal separou-se oficialmente há 15 anos e a última vez que trabalhou lado a lado foi em 2001, num episódio da série “Friends”, com Pitt a interpretar a personagem de Will Colbert — que curiosamente tinha sérios problemas com Rachel Green, papel que impulsionou a carreira de Aniston. Feitas as contas, o ex-casal reuniu-se no ecrã pela primeira vez em 19 anos. E foi por um bom motivo.

Pitt e Aniston fizeram parte de uma leitura virtual do filme de 1982 “Viver Depressa”, juntamente com outros nomes bem conhecidos do público: Julia Roberts, Matthew McConaughey, Morgan Freeman e Sean Penn. O evento foi transmitido ao vivo na quinta-feira no Facebook e no TikTok, e está agora disponível no YouTube.

A reunião improvável de um elenco de luxo pretende angariar fundos para a CORE Response, uma instituição de caridade criada por Sean Penn — embora o ator seja o protagonista do filme em questão, desta vez não deu vida à personagem principal de nome Jeff Spicoli.

Aconteceu de tudo durante a leitura, mas cena em que Jennifer Aniston e Brad Pitt contracenam é, muito provavelmente, o momento mais marcante de toda a iniciativa. Isto porque os diálogos estão carregados de tensão — ela interpreta a personagem Linda Barrett e ele Brad Hamilton — e Pitt chega mesmo a corar.