O músico português Guilherme Lucas compôs mais de uma dezena de “cenários sonoros”, com guitarra elétrica, para poemas ditos pelo escritor Charles Bukowski e o resultado é o livro-CD “Radio Bukowski”, a editar em outubro pela Tradisom.

“Radio Bukowski” apresenta 14 composições inéditas de Guilherme Lucas, em torno de outros tantos poemas de Bukowski, a partir das gravações feitas pelo próprio escritor norte-americano e que estão disponíveis na Internet.

Nesta edição da Tradisom, o álbum inclui ainda os poemas de Bukowski, desenhos inéditos do ilustrador Pedro Sousa Pereira e uma introdução assinada por Jonathan Shaw, escritor e tatuador norte-americano apledidado pela revista Rolling Stone como “o novo Bukowski”, que recorda a relação com um “velho amigo e primordial mentor literário”.

“A primeira de muitas lições que aprendi com Bukowski”, escreve Jonathan Shaw, “foi a de que travar conhecimento em carne e osso com um herói literário pode redundar em desapontamento”.

“É compreensível, porque muitos grandes escritores revelam-se almas torturadas, criaturas reclusivas, antissociais, neuróticas, resvalando para sociopatias narcisistas. A sabedoria e génio que eventualmente ressumem dessas almas sofredoras ganham bem melhor expressão nas obras do que nas suas dúbias interações sociais”, lê-se na introdução.

“Radio Bukowski” abre com “The genius of the crowd”, poema publicado em 1966, e inclui, entre outros, “Grammar of life” (1971), “Consummation of grief” (1962) e “Friendly advice to young men” (1957).

Nascido em 1964, o guitarrista Guilherme Lucas passou por várias bandas nos anos 1980, como Martinis e Cães Vadios. Edita agora este “projeto ‘lo-fi’ dedicado à construção de cenários sonoros”, numa altura em que se assinala o centenário do nascimento de Charles Bukowski.

“Dono de um estilo de carácter extremamente autobiográfico, Bukowski sonhou a vida inteira em ser reconhecido pelo seu trabalho como escritor. De estilo agressivo e inconformado e, na maioria das vezes, ébrio, sentava-se na sua máquina de escrever e, com uma subtileza surpreendente, deixava fluir seus pensamentos sem censura alguma”, lê-se na apresentação de “Radio Bukowski”.

Charles Bukowski nasceu na Alemanha, em 1920, mas cresceu em Los Angeles, onde viveu durante 50 anos. Publicou o primeiro conto em 1944, com 24 anos, e iniciou-se na poesia 10 anos depois.

O escritor morreu com 73 anos, tendo deixado publicados mais de 45 livros de prosa e poesia, entre os quais “Os cães ladram facas”, “Mulheres”, “Correios”, “Pão com fiambre”, “Música para água ardente” e “Factotum”, títulos já editados em Portugal.