Foi uma deslocação que começou atribulada. O Real Madrid deveria ter chegado a San Sebastián, onde este domingo se estreava na liga espanhola contra a Real Sociedad, durante a manhã. Mas a comitiva de 22 jogadores, comandada por Zidane e restante equipa técnica, acabou apanhada de surpresa por uma avaria no avião que deveria ter levado o clube até ao País Basco. A solução foi uma troca para uma aeronave de maiores dimensões, que só podia aterrar em Vitoria, e uma viagem de 95 quilómetros de autocarro até ao hotel designado.

Resultado? O Real Madrid chegou a San Sebastián às 14h15, hora portuguesa, com cinco horas de atraso e a parcas seis horas do início do jogo contra a Real Sociedad. O almoço teve de ser reestruturado e o período de descanso dos jogadores antes do apito inicial, como é natural, ficou largamente reduzido. Certo é que, às 20h em ponto portuguesas, Real Madrid e Real Sociedad estavam no relvado do Anoeta à espera do arranque da partida.

Com o problema de Bale mais ou menos resolvido e o empréstimo do galês ao Tottenham confirmado, Zidane não podia contar com vários jogadores nesta primeira aparição na liga espanhola: Hazard, Asensio, Lucas Vázquez e Isco estão todos lesionados e não eram opção na estreia oficial dos atuais campeões espanhóis esta temporada. No onze inicial dos merengues, o destaque ia para a presença de Odegaard no meio-campo, o jovem norueguês que na época passada esteve emprestado precisamente à Real Sociedad e que regressou ao plantel do Real Madrid. Outro regresso estava no banco, Odriozola, que passou o último ano na Alemanha e foi campeão europeu pelo Bayern Munique em Lisboa. Os dois jovens brasileiros, Rodrygo e Vinícius, eram titulares nos corredores e no apoio a Benzema, enquanto que Casemiro e Valverde começavam no banco.

Do outro lado, com a dupla de ataque Oyarzabal e Isak, um dos reforços mais sonantes deste verão em Espanha estava na condição de suplente: David Silva, o médio que trocou o Manchester City pelo Real Sociedad. Quem se juntava a Silva no banco era Nacho Monreal, espanhol ex-Arsenal que também não era opção inicial de Imanol Alguacil. O Real Madrid dominou a primeira parte por completo mas teve dificuldades em criar situações de perigo, mantendo-se sempre algo afastado da baliza de Remiro. Benzema foi mesmo o elemento mais atrevido dos merengues, com dois remates ao lado já nos últimos instantes da primeira parte (37′ e 39′), mas a melhor oportunidade do jogo até ao intervalo pertenceu à equipa basca. Oyarzabal serviu Isak, o sueco tentou inaugurar o marcador mas Courtois, com uma enorme defesa, manteve o nulo no marcador (42′).

Real Sociedad v Real Madrid - La Liga Santander

Odegaard voltou ao Real Madrid este verão e foi titular contra a equipa que representou na época passada

À ida para o intervalo, ficava a ideia absoluta de que o Real Madrid tinha sido melhor — mas a oportunidade de Isak, contrastante com a dificuldade que os merengues tiveram para construir ocasiões de golo, deixava perceber que a Real Sociedad tinha a capacidade de orquestrar um golpe de teatro de um momento para o outro. E os bascos confirmaram isso mesmo logo no primeiro lance de perigo do segundo tempo, com Barrenetxea a falhar por pouco a inauguração do marcador (46′), com Benzema a responder do outro lado com um desvio de pé direito que Remiro segurou (61′).

Pouco depois da hora de jogo, o momento pelo qual grande parte do País Basco esperava: saiu Isak, entrou David Silva, que se estreou de forma oficial pela Real Sociedad e regressou assim ao futebol espanhol dez anos depois de ter saído do Valencia rumo ao Manchester City. Do outro lado, Zidane lançou Casemiro e o jovem Marvin, um médio de 20 anos da formação merengue que é parte nigeriano, parte coreano e nasceu em Maiorca. O Real Madrid procurou o golo decisivo até aos últimos instantes, com as linhas muito subidas, mas a verdade é que nunca conseguiu ser totalmente asfixiante e ia permitindo espaço e tranquilidade à Real Sociedad. Pelo meio, o jovem Arribas, que também ganhou a Youth League contra o Benfica e ao lado de Marvin, estreou-se pela equipa principal merengue.

Até ao fim, nada se alterou. O Real Madrid não foi além de um empate fora de casa no primeiro jogo oficial da temporada e começou com o pé errado a defesa do título, fator que o Barcelona vai procurar aproveitar já na próxima semana, quando se estrear na liga espanhola contra o Villarreal. Depois de uma exibição que mostrou claramente que os merengues estão ainda com pouco ritmo e a ressacar da quase ausência de pré-época, os problemas com o transporte para o País Basco acabaram por ser a melhor metáfora para a equipa de Zidane: ia de avião, teve de ir de autocarro e acabou mesmo a andar a pé.