O número de visitantes em Macau em agosto foi de 227.113, mais 206,9% em relação ao mês anterior, devido ao início da emissão de vistos da China continental, mas ainda muito longe dos números habituais no território.

Este aumento em relação a julho de 2020 é “graças ao aumento do número de visitantes do Interior da China que entraram no território com diversos tipos de vistos”, indicaram as autoridades, referindo-se ao facto de, no dia 26 de agosto, a província chinesa de Guangdong, responsável pela maioria do mercado turístico chinês, ter começado a emitir vistos para Macau. Ainda assim, o número de visitantes que chegam a Macau desceu 93,7%, em agosto de 2020, comparando com o período homólogo do ano passado, devido à pandemia da Covid-19 que provocou fortes medidas fronteiriças no território, que, em 2019, recebeu quase 40 milhões de visitantes. Pouco menos de metade dos visitantes, em agosto (88.470), eram provenientes de Zhuhai, cidade chinesa que faz fronteira com Macau.

Nos primeiros oito meses do ano, entraram em Macau 3.570.019 visitantes, uma diminuição de mais de 87%, face ao mesmo período do ano anterior. “Os números de visitantes provenientes do Interior da China (2.606.911), de Hong Kong (682.177) e de Taiwan (85.761) diminuíram mais de 80%, face ao idêntico período do ano anterior”, acrescentam as autoridades.

A partir de quarta-feira a China indicou que planeia autorizar em todo o país a emissão de vistos turísticos para Macau, uma medida vista como vital para um território cuja economia é altamente dependente do turismo chinês.