A Câmara Municipal de Matosinhos vai ter, a partir de 1 de novembro, cinco novas linhas de autocarros para corrigir assimetrias, reforçar o serviço e melhorar a ligação aos municípios vizinhos, disse esta terça-feira o vereador da Mobilidade e Transportes.

Estas cinco novas linhas significam mais 105 quilómetros de cobertura de rede, mais 140 locais de embarque e desembarque, mais 120 viagens diárias e mais 1.300 quilómetros percorridos todos os dias”, afirmou José Pedro Rodrigues.

A criação destas linhas está explanada na proposta “Imposição de Obrigações de Serviço Público de Transporte” aprovada, por unanimidade, na reunião pública do executivo municipal.

Falando no “maior aumento” da rede de transportes públicos no concelho, do distrito do Porto, nos últimos 30 anos, o vereador contou que o objetivo é levar autocarros a zonas que “há décadas não veem um autocarro”, cobrir todas as zonas carenciadas identificadas, corrigir assimetrias existentes no território, reforçar o serviço no norte e no centro e melhorar a ligação aos municípios vizinhos.

Esta operação vai implicar um investimento de 300 mil euros por parte da autarquia, contou.

Para acompanhar este crescimento de linhas, a operadora de transportes públicos de Matosinhos — a ViaMove, através da operacionalização da rede Maré — vai ter de adquirir “pelo menos mais 15” autocarros, adiantou.

José Pedro Rodrigues referiu que duas das cinco novas linhas vão suprir a falta de serviço de transporte em Lavra, Perafita e Santa Cruz do Bispo com uma delas a ligar a Praia de Angeiras ao Mar Shopping e outra a Praia de Angeiras a Vilar do Pinheiro (estação de metro).

Igualmente a ligação de Matosinhos/Lavra à Maia sairá reforçada com uma nova linha cujo trajeto liga a zona da Agudela ao metro no Aeroporto Francisco Sá Carneiro [na Maia]”, sublinhou.

A quarta nova linha vai permitir a ligação desde o aeroporto à estação do metro em Ramalde, no Porto, ressalvou.

O vereador comunista disse tratar-se da nova linha com maior extensão — 16,2 quilómetros no trajeto de ida e 14,2 quilómetros no de volta — que vai criar um eixo de atravessamento do concelho no sentido norte/sul, nomeadamente através da ligação de várias das zonas referenciadas como áreas com falta de serviço de transporte público ou sem serviço.

Uma outra linha que entrará em funcionamento fará o trajeto da estação de metro da Senhora da Hora à Exponor, cruzando zonas de serviços e equipamentos, nomeadamente parques de estacionamento, facilitando o uso combinado do automóvel e transporte público, frisou.

José Pedro Rodrigues revelou estarem a ser feitas alterações na linha 128, que liga o Centro Lionesa, em Matosinhos, à estação da Casa da Música, no Porto, para servir a população de São Mamede de Infesta.

“Com esta medida damos um contributo significativo às populações na gestão do seu dia-a-dia”, concluiu.