O Presidente do Líbano pediu esta quarta-feira à comunidade internacional apoio para a reconstrução do principal porto do país e dos bairros de Beirute destruídos pela catastrófica explosão ocorrida em agosto.

Na sua intervenção pré-gravada por ocasião da 75.ª sessão da Assembleia Geral da ONU, que decorre de forma virtual, o Presidente Michel Aoun dirigiu-se aos líderes mundiais para referir que o Líbano enfrenta múltiplas crises que colocam uma ameaça sem precedentes à própria existência do pequeno país do Médio Oriente.

Aoun disse que a necessidade mais urgente do país reside no apoio da comunidade internacional para a reconstrução da sua economia e do seu porto.

A explosão de 4 de agosto, provocada pela deflagração de cerca de 3.000 toneladas de nitrato de amónio armazenados no porto da capital, provocou mais de 190 mortos, 6.500 feridos e 300.000 desalojados. As investigações sobre as causas do desastre prosseguem, sem que ninguém tenha sido responsabilizado até ao momento.

No seu discurso, Aoun disse que o Líbano solicitou assistência a alguns países, em particular para analisar amostras do solo e imagens de satélite, mas ainda aguarda pelos seus resultados.