A Câmara de Coimbra vai requalificar as margens da ribeira de Santa Apolónia, num bairro da cidade, na freguesia de Eiras, que sofreram vários estragos provocados pela tempestade Leslie, anunciou esta sexta-feira a autarquia.

A intervenção, estimada em mais de 200 mil euros, envolve designadamente a construção de um novo pontão, aumento dos passeios e preservação da zona verde, que terá um novo sistema de rega automática, refere a Câmara de Coimbra, numa nota enviada esta sexta-feira à agência Lusa.

O projeto de execução de requalificação das margens da ribeira de Santa Apolónia prevê a “organização do espaço público”, aumentando a área dedicada ao peão e “potenciando a fruição deste corredor verde”, afirma a câmara, indicando que os passeios vão ter a largura mínima de um metro e meio, “sendo alargados sempre que for viável”.

A criação de uma barreira vegetal contínua ao longo do passeio (atualmente existente apenas em parte do trajeto) e a plantação de arbustos estão igualmente previstas no projeto, que pretende recuperar toda a área verde original, igualmente atingida pela tempestade Leslie.

“O pontão pedonal que existe na zona de intervenção vai ser demolido e será construído um novo ligeiramente a jusante”, especifica a câmara, adiantando que a nova travessia da ribeira, no Bairro de Santa Apolónia, terá oito metros de vão e três metros de largura.

A obra, cujo projeto de execução já foi aprovado pelo presidente do município, Manuel Machado, implica “a reparação do talude em pedra argamassada e a estabilização das margens e fundo da ribeira”, conclui a autarquia.

A tempestade Leslie em Portugal, que atingiu grande parte da região Centro, sobretudo o distrito de Coimbra, provocou 27 feridos ligeiros, 61 desalojados e prejuízos de cerca de 120 milhões de euros.

A passagem do furação Leslie, que chegou a Portugal como tempestade tropical, na noite de 13 para 14 de outubro de 2018, afetou, com diferentes graus de gravidade, muitas centenas de habitações, provocando 57 desalojados no distrito de Coimbra, três no de Viseu e um no de Leiria.

Os prejuízos causados apenas no concelho de Coimbra ascenderam a mais de nove milhões de euros, de acordo com as estimativas então feitas pela autarquia.