O Festival de Cinema de Cannes (França), que viu a edição de maio adiada por causa da pandemia da covid-19, terá uma versão “especial”, reduzida a três dias em outubro, mantendo dois filmes portugueses na competição oficial.

Em comunicado, a direção do festival anunciou esta segunda-feira uma edição condensada, entre os dias 27 e 29 de outubro naquela cidade francesa, com a exibição em sala de quatro longas-metragens da “seleção oficial de Cannes 2020”, das curtas-metragens em competição e ainda dos filmes do programa Cinéfondation.

O filme “O Cordeiro de Deus”, de David Pinheiro Vicente, foi selecionado para a competição de curtas-metragens, e “Corte”, dos realizadores Afonso Rapazote e Bernardo Rapazote, integra o programa “Cinéfondation”.

Segundo a direção do festival, em breve será anunciado o júri que decidirá quem receberá a Palma de Ouro nas curtas-metragens e nos prémios do Cinéfondation.

As quatro longas-metragens escolhidas para esta edição reduzida de Cannes são “Un triomphe”, de Emmanuel Courcol, “True Mothers”, de Naomi Kawase, “Beginning”, de Dea Kulumbegashvili, e “Les Deux Alfred”, de Bruno Kiberlain.

A organização tinha anunciado anteriormente uma série de filmes que poderiam ser exibidos nos cinemas no outono em 2021, com o selo “seleção oficial de Cannes”.

Entre os filmes anunciados no início de junho estavam “Na Penumbra”, do realizador lituano Sharunas Bartas, coproduzido pela portuguesa Terratreme, “The French Dispatch”, de Wes Anderson, “Été 85”, de François Ozon, “Falling”, de Viggo Mortensen, “Soul”, de Peter Docter pelos estúdios Pixar, e “Aya and the Witch”, de Goro Miyazaki, primeiro filme em animação 3D dos estúdios Ghibli.

Além deste anúncio, a direção marcou na agenda a 74.ª edição do festival de Cannes, de 11 a 22 de maio de 2021.