Era para ser às 18h, passou para as 19h30, foi adiado para as 20h30, começou quase três horas depois do que era esperado. “As apresentações [de Otamendi e Rúben Dias] estavam coordenadas mas a troca de documentação foi mais morosa que esperávamos”, explicou Rui Costa, administrador da SAD do Benfica, antes da conferência de apresentação de Otamendi como reforço dos encarnados. Demorou mas foi, ao mesmo tempo que o português era anunciado em Manchester numa operação que, de acordo com a sociedade das águias, teve um custo de cinco milhões de intermediação para a venda por 68 milhões mais 3,6 milhões por objetivos. Já Otamendi assinou por três temporadas a troco de 15 milhões ao City, ficando com uma cláusula de rescisão de 30 milhões.

“Só posso agradecer por me trazerem. Quero trazer experiência e que o Benfica continue a crescer. Queremos fazer as coisas da melhor forma. Em cada equipa que me tocou jogar dei o meu melhor, com profissionalismo. Não apenas a nível de futebol mas deixando uma boa imagem a nível pessoal. Defenderei a camisola do Benfica até à morte ou ao dia em que tenha de sair. Jorge Jesus? É um treinador ganhador, demonstrou isso ao longo dos anos e esperamos que esta época consigamos colocar o Benfica no lugar mais alto”, começou por referir o internacional argentino de 32 anos, que voltará a atuar em Portugal com o número 30.

“O Benfica foi o clube que se interessou por mim. Mostrou-me o projeto que tem e falei com a minha família. Queria ter a continuidade que todos os jogadores precisam, para ganhar ritmo, para competir e estar na seleção argentina. Venho em busca disso, com muita fome. Acredito que os adeptos me vão receber da melhor forma. Os adeptos dão mérito pela forma como um jogador se comporta em campo. Vou dar o melhor de mim para os adeptos estarem contentes e tudo corra bem”, prosseguiu, antes de abordar também as palavras de Pinto da Costa sobre a história que construiu no FC Porto. “Tenho a sorte de em cada clube que joguei sair pela porta da frente. Isso foi obviamente no passado, hoje o que interessa é o presente e as conquistas ficam sempre na memória. Tratarei de fazer com que o Benfica cresça”, destacou o antigo jogador do Manchester City.

“O Bernardo [Silva] disse-me que ia para a melhor equipa do mundo, o [João] Cancelo também. São opiniões que ajudam muito na hora de decidir e estou feliz por estar aqui. Também o Rúben Dias vai para um grande clube, muito organizado, onde vai lutar por tudo. O Pep Guardiola é um treinador exigente, que vai tratar de o melhorar. O que conheço do Benfica? Uma pessoa trata sempre de informar-se sobre para onde vai. Vai ser uma temporada larga e quero adaptar-me o mais depressa possível. Se vou jogar já? Sim, sinto-me preparado. Não tenho jogado mas tenho treinado, estou capaz se o treinador quiser que jogue no domingo”, concluiu.

Ao mesmo tempo da apresentação de Otamendi no Seixal, Rúben Dias tinha as primeiras palavras como reforço do Manchester City, destacando a oportunidade que não podia desperdiçar e a oportunidade de poder trabalhar com o treinador Pep Guardiola numa das ligas mais competitivas do mundo.

“Ter a oportunidade de juntar-me a um clube como o Manchester City é uma excelente oportunidade para mim, algo que não podia recusar. O sucesso que o clube teve nos últimos anos fala por si. Têm sido uma equipa dominante em Inglaterra, com um estilo de jogo muito ofensivo que penso que se enquadra bem ao meu. É muito entusiasmante poder fazer parte de um plantel tão talentoso e poder ser orientado por um treinador de classe mundial como é o caso de Pep Guardiola. Acredito que posso evoluir ainda mais aqui, num clube cujas ambições vão de encontro com as minhas. Vou dar tudo para ter sucesso e para conquistarmos títulos”, disse.

“O Rúben [Dias] é um jogador que seguimos há algum tempo e estamos impressionados com a forma como tem progredido no Benfica. Tornou-se num verdadeiro líder e, como defesa, tem todas as características que procuramos num central. É ótimo no jogo aéreo, é bom em duelos individuais e, tecnicamente, é um jogador bem dotado, por isso estamos convencidos de que vai crescer como jogador connosco”, acrescentou também aos órgãos do clube de Manchester Txiki Beguiristain, espanhol que é diretor desportivo do City.