A 7.ª edição do festival Westway LAB vai decorrer de 14 a 17 de Outubro, em Guimarães, em formato híbrido, com nove concertos presenciais no Centro Cultural Vila Flor e outros 11 apenas no mundo digital, foi esta quinta-feira anunciado.

Em comunicado, A Oficina anuncia que os concertos presenciais serão protagonizados por artistas nacionais, e terão lugar no grande auditório daquele Centro Cultural, com lugares marcados. Haverá também a possibilidade de acompanhar a sua transmissão em direto nas redes sociais de A Oficina e do Westway LAB.

O festival reunirá em Guimarães nomes e projetos artísticos como The Legendary Tigerman, Valter Lobo, Mão Morta Redux, Tó Trips, The Lemon Lovers, Miramar, Evols, Seiva e IAN, estes dois últimos em colaboração com a plataforma Why Portugal.

Nos casos de Tó Trips e Mão Morta Redux, a organização destaca a particularidade de musicarem ao vivo, no festival, respetivamente, as suas bandas sonoras originais dos filmes “Surdina”, realizado pelo cineasta vimaranense Rodrigo Areias, e “A Casa na Praça Trubnaia”, do cineasta soviético Boris Barnet.

Nesta edição, o Westway LAB propõe um foco sobre filmes-concerto, “promovendo a dimensão audiovisual como uma forte experiência imersiva a ser vivida nos dias do festival”.

Os concertos com transmissão digital ficam a cargo de Julian Zyklus, Hickeys, Aka Neomi, Misia Furtak, Lily Arbor, Carnival Youth, Jack Found, Samuel Coelho, Anibal Zola, Andre´ Ju´lio Turquesa e Yosune.

As conferências PRO contarão com a participação de nomes como Roberta Medina e Rob Challice, e estão marcadas para os dias 15, 16 e 17, com transmissão digital.

Entre as novidades desta edição, encontra-se uma nova funcionalidade de transmissão digital da programação, a juntar às redes sociais do Westway LAB, bem como o novo website www.westwaylab.com, onde pode ser encontrada a programação das conferências e concertos, entre outros conteúdos.