A casa do governador do estado brasileiro de Santa Catarina, Carlos Moisés, investigado pela suposta compra irregular de 200 ventiladores hospitalares na pandemia de Covid-19, foi esta quarta-feira alvo de uma busca realizada pela polícia.

Agentes da Polícia Federal e do Ministério Público executaram um mandado de busca e apreensão na Casa da Agronômica, residência oficial do governador, localizada na cidade de Florianópolis, capital regional de Santa Catarina. Os agentes procuraram indícios sobre irregularidades num contrato para a compra de respiradores, que foi celebrado sem licitação.

O contrato suspeito atinge o valor de 33 milhões de reais (cerca de 5 milhões de euros), montante que foi pago antecipadamente em março, no início da pandemia de Covid-19, mas os equipamentos não foram entregues e polícia decidiu iniciar as investigações.

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina instalou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para abrir um processo de destituição contra Moisés, que já está a decorrer no âmbito legislativo regional. As autoridades procuram apurar se o pedido de compra dos respiradores, feito à empresa Veigamed, veio do governador ou de outros dois secretários que também estão a ser investigados na operação.

Moisés, advogado e ex-bombeiro militar, é filiado no Partido Social Liberal (PSL), formação que levou ao poder o Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

Na segunda-feira, em Belém, capital do estado amazónico do Pará, o gabinete do governador Hélder Barbalho também foi alvo de buscas realizadas pelas autoridades numa operação contra um alegado esquema de fraudes no sistema de saúde que se estendeu aos hospitais campanha criados para atender pacientes com Covid-19. Já no Rio de Janeiro, a Assembleia Legislativa regional decidiu na semana passada abrir um processo  político contra o governador Wilson Witzel, que foi suspenso por seis meses do cargo também por suspeita de desvio de dinheiros públicos durante a pandemia, e que está ameaçado de destituição. Outros governadores foram alvo de investigações por suposta fraude durante a crise da Covid-19. O governador do Amazonas, Wilson Lima, foi alvo de uma operação policial anticorrupção semelhante no final de junho, sobre fraudes em contratos para a compra de respiradores. Em Recife, capital de Pernambuco, também há uma investigação sobre a aquisição desse mesmo tipo de equipamento

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo número de mortos (mais de 4,7 milhões de casos e 142.921 óbitos), depois dos Estados Unidos. A pandemia de Covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos e mais de 33,7 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.