Andou nas bocas do mundo no início do ano, quando ainda parecia que o grande tema de 2020 seria o ataque dos Estados Unidos que acabou por matar o líder militar iraniano Qassem Soleimani e abriu a porta a uma tensão entre os dois países. Em janeiro, um dia depois de o Irão retaliar, ao atingir duas bases iraquianas que albergam soldados norte-americanos, Sergiño Dest optou por jogar pelo seguro e abandonar o estágio do Ajax no Qatar. 

Oito meses depois, Sergiño Dest volta a ser o tema do dia. O lateral de 19 anos foi esta quinta-feira anunciado como o novo reforço do Barcelona e surge como a resposta dos catalães à saída de Nélson Semedo, que se mudou para Inglaterra para engrossar ainda mais o contingente português do Wolverhampton. Depois de apenas uma temporada na equipa principal do Ajax, onde realizou praticamente toda a formação, o internacional norte-americano foi o eleito de Ronald Koeman para ser a principal alternativa a Sergi Roberto no lado direito da defesa.

Sergino Dest, jogador norte-americano do Ajax, deixou o estágio no Qatar por receio da tensão entre Estados Unidos e Irão

Dest cumpriu 35 jogos ao serviço do Ajax na época passada e marcou dois golos — ao longo de um ano que terminou prematuramente para o futebol holandês, já que o Campeonato não chegou a recomeçar depois da quarentena e foi cancelado ainda no final de abril sem direito a campeão nacional. Antes de estar concluído o negócio com o Barcelona, o lateral direito já fez três jogos esta temporada pela equipa de Erik ten Hag. Chega à Catalunha a troco de 21 milhões mais cinco em variáveis, assinou por cinco épocas e fica com uma cláusula de 400 milhões de euros. 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nascido em Almere, na Holanda, Sergiño é filho de pai norte-americano e mãe holandesa, foi criado na Europa e cresceu para o futebol no Ajax. Ainda assim, e mesmo com a possibilidade de representar tanto os Estados Unidos como a Holanda internacionalmente, o lateral direito nunca jogou por outro país que não os Estados Unidos nas camadas jovens das seleções. No final de outubro do ano passado e depois de uma novela que preencheu as páginas das secções de desporto dos dois países, o jovem jogador acabou por comprometer-se com a seleção norte-americana. No mês anterior, em setembro, tinha cumprido a primeira internacionalização pela equipa principal, num particular contra o México.

Apesar de ser um produto da poderosa formação do Ajax, Sergiño Dest torna-se assim o mais recente jovem norte-americano a chegar a um grande clube europeu. Weston McKennie trocou o Schalke 04 pela Juventus, Gio Reyna continua a brilhar no Borussia Dortmund, Tyler Adams é parte importante do RB Leipzig e Pulisic é um dos jogadores fulcrais para Lampard no Chelsea — num lote onde ainda se podem incluir o guarda-redes Zack Steffen (Manchester City), o avançado Josh Sargent (Werder Bremen), Timothy Weah (Lille) e também Chris Richards (Bayern Munique). Em Portugal, o grande exemplo deste verão foi Reggie Cannon, internacional norte-americano que reforçou o Boavista.

Os jovens norte-americanos, que até há pouco tempo só tinham sido descobertos pelo mercado alemão — Pulisic, Reyna e McKennie são exemplo disso –, estão agora a ser desvendados pelo futebol europeu e a chegar aos gigantes que costumam disputar as grandes competições. Sergiño Dest é o porta-estandarte disso mesmo, já que foi sempre a opção prioritária do Barcelona para reforçar o setor defensivo ainda antes de Nélson Semedo deixar a Catalunha.