A cidade de Viseu vai acolher, de dia 20 a dia 23, o Art&Tur – Festival Internacional de Cinema de Turismo, que exibirá 72 filmes provenientes de quatro continentes, foi esta sexta-feira anunciado.

Em conferência de imprensa, o diretor do festival, Francisco Dias, explicou que se trata de “um evento amplo”, que inclui não só filmes de promoção turística e documentários, mas também “uma reflexão sobre temas do turismo”.

Segundo o responsável, o festival, que vai na sua 13.ª edição, “segue o seu caminho ano após ano”, mas “este ano quase tropeçava” por causa da pandemia de Covid-19. “No essencial, mantemos a envergadura do que é o Art&Tur”, garantiu, acrescentando que houve 295 filmes inscritos, o que significou “uma pequena redução de 10%”.

Este ano, o júri é presidido pelo cineasta António-Pedro de Vasconcelos e integra 31 peritos de 19 países.

Os 72 filmes (escolhidos entre os 295) podem ser vistos, a partir de terça-feira, no sítio da internet do festival. Nesse dia, terá início a votação do público, que terminará no dia de abertura do festival.

O dia 20 será dedicado aos filmes integrados na competição nacional, os dias 21 e 22 aos filmes de competição internacional e, no dia 23, realizar-se-á a cerimónia de entrega de prémios.

Francisco Dias referiu que, como é habitual, o festival é acompanhado de uma conferência internacional, durante a qual se tentará perceber, por exemplo, “como a região Centro e o município de Viseu conseguiram inovar para mostrar que o turismo continua de saúde”.

“O turismo criativo como forma de valorizar os recursos endógenos do interior do país” e estudos recentes sobre a perceção dos destinos turísticos pelos turistas portugueses são outros assuntos a abordar. Haverá ainda duas palestras com a participação de seis bloggers portugueses de viagens.

O vereador do Turismo na Câmara de Viseu, Jorge Sobrado, lamentou que a pandemia tenha dificultado a missão assumida de esta edição ser “a mais popular de sempre” e colocar os “atores turísticos” dentro do festival.

Com esse objetivo, a programação cultural da cidade associa-se ao festival, apresentando propostas especialmente desenhadas na área da música e do cinema.

Jorge Sobrado destacou a apresentação de dois filmes que têm ligação a Viseu, nomeadamente do documentário “Feira de São Mateus — a feirar há 627 anos”, de John Galo, e da curta-metragem “Corte”, dos jovens viseenses Afonso Rapazote e Bernardo Rapazote.

Na conferência de imprensa estava também o presidente da Câmara Municipal de Aveiro, José Ribau Esteves, uma vez que este município acolherá o festival no próximo ano.

O presidente do Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado, frisou que “cidades como Viseu e Aveiro estão nas novas tendências dos novos turistas” e mostrou-se convencido de que este festival afirmará a região e o país.