Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Vários jornalistas do jornal A Bola não receberam o subsídio de férias, apesar de alguns terem-no recebido antes de março, denuncia o Sindicato dos Jornalistas (SJ) num comunicado emitido esta sexta-feira. O sindicato ameaça comunicar o caso ao Ministério do Trabalho e pedir uma intervenção da ACT (Autoridade para as Condições de Trabalho).

O pagamento não foi feito nem foi dada uma “justificação aceitável” para tal, acusa o sindicato, lembrando que “a situação é ainda mais grave para os jornalistas integrados no novo processo de lay-off“. O SJ defende que a falta do pagamento do subsídio “deixa alguns trabalhadores com quebra de rendimento há mais de seis meses”.

Este atraso no pagamento do subsídio de férias, além de ser uma dupla penalização para os trabalhadores em lay-off, motiva situações verdadeiramente aflitivas para alguns jornalistas“, lê-se no comunicado.

O sindicato lembra ainda que há assim uma ” situação de desigualdade entre trabalhadores, já que alguns receberam o subsídio antes do mês de março e outros negociaram com a empresa o pagamento em duodécimos”.

Caso o incumprimento se mantenha e se a empresa não para o subsídio “rapidamente”, o sindicato ameaça mesmo fazer uma “exposição ao Ministério do Trabalho” e solicitar “a intervenção da ACT, já que o não pagamento das férias constitui uma contra-ordenação laboral“.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR