O Brasil ultrapassou esta sexta-feira os 145 mil mortos (145.388) devido à Covid-19, após contabilizar 708 óbitos nas últimas 24 horas, informou o Ministério da Saúde no seu último boletim epidemiológico.

A tutela da Saúde, que ainda investiga a possível ligação de 2.424 mortes ao novo coronavírus, indicou que 526 dos 708 óbitos ocorreram nos últimos três dias, mas apenas foram incorporados nos dados desta sexta-feira. Em relação ao número de casos confirmados, o Brasil totaliza 4.880.523, sendo que 33.431 infeções ocorreram nas últimas 24 horas.

As autoridades de Saúde brasileiras informaram ainda que 4.232.593 pessoas infetadas já recuperaram da doença causada pelo novo coronavírus, enquanto que 502.542 pacientes infetados estão sob acompanhamento médico. A taxa de letalidade da doença no país mantém-se em 3%.

Geograficamente, os estados que concentram o maior número de casos positivos da doença são São Paulo (997.333), Bahia (313.404), Minas Gerais (302.082) e Rio de Janeiro (270.395). Já as unidades federativas com mais mortes são São Paulo (35.956), seguido pelo Rio de Janeiro (18.665), Ceará (9.047) e Pernambuco (8.299).

São Paulo, o estado mais rico e populoso do país, com cerca de 46 milhões de habitantes, mas também o foco da pandemia em território brasileiro, ultrapassou esta sexta-feira a Itália no número total de mortes devido ao novo coronavírus.

Enquanto que o país europeu totaliza 35.941 óbitos desde o início da pandemia, de acordo com o portal Worldometer, os “paulistas” atingiram a marca de 35.956 vítimas mortais.

No balanço epidemiológico desta sexta-feira, São Paulo contabilizou 152 mortes em 24 horas, enquanto que os italianos perderam 23 pessoas para a Covid-19.

Quanto ao número de infeções, o estado brasileiro registou 5.608 contágios entre quinta e sexta-feira. Já Itália somou esta sexta-feira 2.499 novas infeções, elevando o número total para 319.908 casos confirmados.