O tenista sérvio Novak Djokovic, número um mundial, e o grego Stefanos Tsitsipas qualificaram-se este sábado para os oitavos de final de Roland Garros, enquanto o italiano Matteo Berrettini e o espanhol Bautista-Agut ficaram pelo caminho.

Djokovic, campeão em 2016 e que procura o 18.º título do Grand Slam, fechou a jornada de hoje do terceiro ‘major’ da temporada com mais uma exibição imaculada, ao bater o colombiano e ‘lucky loser’ Daniel Elahi Galan (153.º da hierarquia) em três rápidos ‘sets’, com os parciais de 6-0, 6-3 e 6-2, sob o teto fechado do ‘court’ Philippe-Chatrier, quando chovia torrencialmente em Paris.

“Se te impões desde início no ‘court’, o que fiz nos primeiros três jogos, torna-se difícil para eles acreditarem que podem recuperar e dar a volta ao encontro”, explicou o sérvio.

Ultrapassado o jovem sul-americano, de 24 anos, a jogar pela primeira vez a terceira ronda de um ‘major’, Djokovic, de 33 anos, acedeu pela 14.ª vez, nos últimos 15 anos, aos oitavos de final e vai defrontar o russo Karen Khachanov (16.º do mundo), que derrotou o chileno Cristian Garin, em quatro partidas, por 6-2, 3-6, 6-4 e 6-2, ao cabo de duas horas e 29 minutos.

Mais fácil ainda foi a qualificação do grego Stefanos Tsitsipas, número seis mundial, no ‘court’ Suzanne-Lenglen, onde beneficiou da desistência do adversário eslovaco Aljaz Bedene (56.º ATP), quando dominava pelos parciais de 6-1, 6-2 e 3-0, ao fim de uma hora e 20 minutos de encontro.

Enquanto Tsitsipas, finalista ao ATP 500 de Hamburgo e campeão do Estoril Open de 2019, assegurava o regresso aos ‘oitavos’ de Roland Garros, agendando encontro com o búlgaro Grigor Dimitrov (20.º), que também beneficiou da retirada do espanhol Roberto Carballes Baena, quando o marcador registava 6-1 e 6-3, num dia em que o italiano Matteo Berrettini foi protagonista de uma das maiores surpresas da jornada.

O transalpino, de 24 anos, oitavo colocado no ‘ranking’ ATP, foi eliminado pelo jovem alemão Daniel Altmaier (186.º ATP), de 22 anos, em apenas três partidas, com os parciais de 6-2, 7-6 (7-5) e 6-4, na mesma altura em que o jovem russo Andrey Rublev (12.º), de 22 anos, campeão em Hamburgo no domingo, derrotava o sul-africano Kevin Anderson, antigo número cinco mundial, por 6-3, 6-2 e 6-3, para garantir a estreia entre os 16 finalistas de Paris.

No duelo 100% espanhol, Pablo Carreño-Busta (18.º), campeão do Estoril Open de 2017 e recentemente semifinalista do US Open, levou a melhor ante Roberto Bautista-Agut, número 10 mundial, em quatro ‘sets’, pelos parciais de 6-4, 6-3, 5-7 e 6-4, em três horas e 22 minutos. O próximo adversário de Carreño-Busta é o germânico e ‘qualifier’ Daniel Altmaier, ‘carrasco’ de Berrettini.

Na competição feminina, foi preciso chegar à terceira ronda para a norte-americana Sofia Kenin, número seis da hierarquia e vencedora do Open da Austrália, vencer no pó de tijolo parisiense em apenas duas partidas, desta feita frente à romena Irina Maria Bara, por 6-2 e 6-0, em uma hora e 12 minutos.

Na fase seguinte, Kenin vai defrontar a francesa Fiona Ferro (49.ª da hierarquia), que se impôs à romena Patrícia Maria Tig, pelos parciais de 7-6 (9-7), 4-6 e 6-0, ao passo que a checa Petra Kvitova, 11.ª do ‘ranking’ WTA, vai ter pela frente a chinesa Shuai Zhanh, após ter afastado a canadiana Leylah Fernandez, por 7-5 e 6-3.

Já a letã Jelena Ostapenko, campeã de 2017, ficou fora da prova, ao ceder diante a espanhola Paula Badosa, por 6-4 e 6-3, assim como a bielorrussa Aryna Sabalenka (12.ª) foi eliminada pela tunisina Ons Jabeur (35.ª) em três partidas, com os parciais de 7-6 (9-7), 2-6 e 6-3.

No último encontro do dia, que começou no ‘court’ Suzanne-Lenglen e, após um jogo, foi transferido para o ‘court’ coberto Philippe-Chatrier, devido à chuva, a norte-americana Denielle Collins (57.ª) precisou de duas horas e 26 minutos para ultrapassar a espanhola Garbiñe Muguruza, número 15 mundial e vencedora de Roland Garros em 2016, por 7-5, 2-6 e 6-4.