O túnel da avenida João XXI, em Lisboa, encerrado desde 18 de setembro, reabre à circulação automóvel na segunda-feira, a partir das 06:00, mas com condicionamentos, disse este sábado a Câmara de Lisboa.

“Garantidas todas as condições de segurança, a circulação será feita de forma condicionada, para que possam ser realizados trabalhos em paralelo”, indica a autarquia presidida por Fernando Medina, em comunicado.

De acordo com a nota, a circulação será condicionada a uma via por sentido, sendo o trânsito proibido a pesados e a velocidade máxima permitida de 30 quilómetros/hora.

O túnel estará ainda encerrado no período noturno, entre as 21:00 e as 06:00.

Segundo a Câmara de Lisboa, “estes condicionamentos serão acompanhados em permanência por elementos da Polícia Municipal nas entradas do Campo Pequeno e das Olaias”, continuando os serviços municipais “a desenvolver os trabalhos e os melhoramentos necessários para a normalização da circulação”.

O túnel da Avenida João XXI, em Lisboa, está encerrado ao trânsito desde 18 de setembro, devido a um incêndio que teve origem numa falha no sistema de controlo elétrico.

Questionada pela Lusa na quinta-feira, fonte da Câmara de Lisboa disse que ainda não estavam nessa altura reunidas as condições para se conhecer uma data de reabertura, estimando que deveria estar “para breve”.

Os deputados do CDS-PP em Lisboa questionaram na semana passada a autarquia sobre se o incêndio ocorrido em 18 de setembro estará relacionado com incumprimentos das regras de segurança denunciados em 2018.

No dia do incidente, a Câmara de Lisboa informou que o incêndio teve origem numa falha no sistema de controlo elétrico, adiantando que o trânsito naquele local iria manter-se encerrado.

“Concluída a avaliação preliminar sobre as causas do incêndio no túnel da Avenida João XXI, e que levaram ao encerramento desta infraestrutura, a CML [Câmara Municipal de Lisboa] vem por este meio comunicar que a avaliação efetuada pelas equipas técnicas do municípios, coordenadas pelo Serviço Municipal de Proteção Civil, apontam para uma falha no sistema de controlo elétrico que faz a transição da energia da rede com a energia produzida pelo grupo gerador, em caso de falha da rede, como aconteceu esta manhã”, afirmava o município em comunicado.

“A avaliação mais detalhada do que aconteceu e das medidas necessárias para a reposição das condições de operação e circulação em plena segurança, estão a decorrer”, era ainda referido.