A data para a apresentação mundial do EQS da Mercedes aproxima-se a passos largos e são cada vez mais as informações que se conhecem relativas ao modelo que se assume como o Classe S da marca alemã, no que respeita aos veículos eléctricos. A base é o protótipo EQS Vision Concept, revelado em 2019, e é igualmente conhecida a tónica que o construtor coloca na eficiência, traduzida em autonomia, especialmente depois de o CEO, Ola Källenius ter anunciado que o EQS estava a apontar para percursos de 700 km entre recargas.

Mercedes anuncia 700 km de autonomia para eléctrico EQS

À medida que se aproxima a data da comercialização, é natural que o EQS seja cada vez mais fácil de encontrar na via pública em redor de Estugarda, a sede da Daimler. Daí a conhecerem-se os rivais que a Mercedes tem debaixo de olho para o seu topo de gama a bateria foi um instante.

Além de ser apanhado a circular acompanhado pelo Tesla Model S – sendo de relembrar que até para o EQC a Mercedes chegou a alugar um Model X e a desmontá-lo –, tornam-se evidentes os comparativos com o Porsche Taycan, contra quem vai disputar o seu principal mercado: o alemão.

A assumir-se como um automóvel eléctrico de alta performance, o EQS será fabricado em Sindelfingen, na Alemanha. Os rumores apontam para versões com duas ou quatro rodas motrizes e potências entre 400 e 600 cv, esta referente à versão AMG. Também a bateria vai ser oferecida com diversas capacidades, com a mais generosa a garantir os mencionados 700 km de autonomia.

É certo que o EQS estará mais próximo em filosofia do Model S do que do Taycan, que faz mais concessões ao estilo desportivo. Mas, face à reduzida oferta entre os topos de gama eléctricos, é compreensível que a Mercedes tenha escolhido o Taycan e o Model S como foco para um benchmarking. E isto porque o Lucid Air ainda não está disponível, sobretudo porque é este modelo americano que parece mais alinhado pelos valores da Mercedes.