O Grão-Mestre da Maçonaria alertou esta segunda-feira para o risco que correm nos dias de hoje os valores republicanos, com a ascensão de populismos, alimentada pela propagação de ‘fake news’ e pelos medos causados pela pandemia.

Na sua mensagem do 5 de Outubro, o Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano (GOL), saúda o dia da república e dos seus valores, associados à “prevalência do interesse público sobre interesses particulares”, lamentando que estes contrastem com “o estado atual do mundo e do país”.

“Os sinais de alerta são cada vez mais evidentes”, sinais estes que a “pandemia veio amplificar exacerbando medos, fomentando angústias, facilitando as notícias falsas e a desinformação, simplificando perigosamente as mensagens, numa trajetória populista preocupante que, a prazo, justificará uma deriva messiânica que, como Maçons, teremos de combater com todas as nossas forças”, considera Fernando Lima.

Na sua mensagem, o grão-mestre do GOL afirma que “o obscurantismo e as regressões civilizacionais estão à vista de todos” e que “as condições básicas da cidadania, da liberdade, igualdade e da fraternidade, da razão iluminista, estão a ser violentamente questionadas em muitos lados”.

Enquanto depositários dos valores republicanos, os maçons vão resistir à tentativa “eliminar” estes valores, afirma Fernando Lima, lembrando que para “dar sentido ao presente, é preciso reler sempre o passado” e desta forma projetar o futuro com “determinação e progresso esclarecido”.

Na opinião do GOL, estão em causa valores como a soberania do povo, a representatividade, a igualdade como instrumento da justiça social, a fraternidade, a laicidade como pilar da liberdade de consciência, a cidadania, e a ética individual que coloca o “bem coletivo acima de privilégios ofensivos”.