O Conselho Superior de Defesa Nacional (CSDN) aprovou esta terça-feira um louvor às Forças Armadas pelo apoio ao combate à pandemia de Covid-19, desde março, anunciou a Presidência da República.

O CSDN, órgão de consulta para a Defesa do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, realizou uma reunião por videoconferência e aprovou as propostas das Forças Nacionais Destacadas para 2021 que “têm financiamento assegurado” e deu “parecer favorável condicional” às que estão “pendentes de financiamento”.

Em fevereiro, o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA) estimava em 1.738 o número de militares portugueses que vão participar em 22 missões da Organização do Tratado do Atlântico Norte, União Europeia, Nações Unidas e em missões bilaterais e multilaterais, apoiadas por cinco navios, sete aeronaves e 66 viaturas táticas.

Segundo comunicado da Presidência, o conselho “aprovou por unanimidade o voto de Louvor às Forças Armadas, não só pelo apoio no combate à pandemia Covid-19, bem como no desempenho operacional pelas Forças Nacionais Destacadas”.

Desde março, quando começou a pandemia de Covid-19, além de missões de transporte e de produção de gel desinfetante, para o Serviço Nacional de Saúde, as Forças Armadas contribuíram com instalações, camas em hospitais para pessoas infetadas e ajudaram na desinfeção de lares e escolas, por exemplo.