A edição número 47 do Portugal Fashion decorre entre os dias 15 e 17 de outubro, com a Alfândega do Porto no centro da programação. No total, os 25 desfiles e apresentações vão dividir-se entre os novos e os velhos formatos, embora os eventos físicos predominem no calendário. Depois de uma edição interrompida pelo novo coronavírus, em março deste ano, a plataforma continua a assinalar os 25 anos de existência.

Mas o emblemático edifício à beira Doura não é o único a servir de palco a mais uma edição do Portugal Fashion. Sophia Kah e Susana Bettencourt apresentam coleções no recém-inaugurado Neya Porto Hotel. Miguel Vieira opta pelo ambiente intimista do Vogue Café, enquanto a dupla Marques’Almeida, que marcaram presença virtualmente na Semana da Moda de Londres, tem apresentação marcada num local ainda a revelar.

Os criadores do espaço Bloom surgem diluídos na agenda — João Sousa, Arieiv, 0.9 Virus, Carolina Sobral, Maria Meira, Unflower e Rita Sá são os nomes esperados na passerelle. Ernest W. Baker, a marca de Inês Amorim e Reid Baker, tem estreia marcada para 15 de outubro, às 19h. Depois de ter integrado o calendário oficial da semana da moda masculina, em Paris, em julho, e de, em março de 2019, ter apresentado coleção na ModaLisboa, é a primeira apresentação da marca de menswear no Portugal Fashion.

Depois de passar por Milão, à semelhança de Miguel Vieira e David Catalán, Alexandra Moura também regressa à invicta. Estelita Mendonça, Inês Torcato, Maria Gambina, Pé de Chumbo, Júlio Torcato, Hugo Costa, Luís Onofre e Alves/Gonçalves também fazem parte do calendário, numa edição em que Luís Buchinho e Diogo Miranda são as grandes ausências.

Alexandra Moura revisitou, Miguel Vieira coloriu. A moda portuguesa regressou a Milão

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Estou a comemorar os 30 anos da minha marca. Várias coisas eram para ter acontecido, mas como 2020 não o permitiu, os projetos ficaram congelados. Agora, quis fazer uma apresentação que celebrasse a data, algo bastante original e que passa por uma produção completamente independente. É algo feito com a minha equipa, com as pessoas que me acompanham e fora de todos os contextos em que já apresentei”, justificou Luís Buchinho ao Observador.

O criador aproveitará assim o início da próxima semana — entre a ModaLisboa e o Portugal Fashion — para apresentar a nova coleção num suporte de fotografia e vídeo, caminho seguido também por Diogo Miranda que, ao Observador, falou da necessidade de reinvenção num momento atípico como o atual.

Portugal Fashion regressa com três dias de desfiles na Alfândega do Porto

Segundo ambos os designers, a decisão de apresentar fora do calendário é, neste momento, pontual. Ainda que possa ser só por uma edição, a ausência é lamentada pela organização, que reforça o facto de se tratar de uma opção dos próprios criadores, segundo esclareceu Mónica Neto, diretora do Portugal Fashion, ao Observador.

Luís Buchinho fez parte do grupo de designers portugueses presente na primeira edição do evento, há 25 anos. Diogo Miranda estreou-se em 2007 e tornou-se, desde então, presença assídua no alinhamento do Portugal Fashion.